Programa de proteção de pessoas com deficiência chega a 85 localidades de SP

Programa de proteção de pessoas com deficiência chega a 85 localidades de SP

'Residências Inclusivas', do governo paulista, abrange 22 regiões. Serviço recebe mulheres e homens com deficiências leves ou moderadas, a partir de 18 anos, com vínculo familiar fragilizado ou totalmente rompido. Pedido de ajuda deve ser feito ao CREAS ou CRAS.

Luiz Alexandre Souza Ventura

11 de junho de 2021 | 11h49

Foto de um quarto da Residência Inclusiva de Cotia, na Grande SP, com duas camas de solteiro e duas mesas de cabeceira. Sobre as camas, lençois e fronhas floridas, cobertores de cor cinza e uma caixa grande de papelão, fechada e amarrada com um laço colorido.

Unidade de Cotia tem 120m². Foto: Divulgação / Governo de SP (descrição da imagem em texto alternativo).


O programa ‘Residências Inclusivas’, do governo de SP, chegou a 85 localidades nesta quinta-feira, 10, com a inauguração da unidade de Cotia, na Grande SP. O projeto está distribuído em 22 regiões: Alta Noroeste, Alta Sorocabana, Araraquara, Avaré, Baixada Santista, Barretos, Bauru, Botucatu, Campinas, Franca, Itapeva, Marília, Mogiana, Grande São Paulo ABC, Grande São Paulo Leste, Grande São Paulo Norte, Grande São Paulo Oeste, Piracicaba, São José do Rio Preto, Vale do Paraíba, Vale do Ribeira e também na capital paulista.

Foi criado em 2009 para oferecer proteção social especial de alta complexidade a jovens e adultos, acima de 18 anos, mulheres e homens com deficiências leves ou moderadas, com vínculo familiar fragilizado ou totalmente rompido.

As principais portas de entrada são o CREAS (Centro de Referência de Assistência Social) e o CRAS (Centro de Referência da Assistência Social), que atendem e avaliam se a pessoa com deficiência é indicada para o programa.


Foto de uma sala de estar com dois sofás, alguns pufes e uma televisão.


“O encaminhamento para a Residência Inclusiva é a última medida. Todos os esforços sempre serão pela manutenção da pessoa com sua família e em seu território de origem. Na proteção básica há um serviço de apoio a pessoa com deficiência no domicílio”, explica a Secretaria de Desenvolvimento Social (SEDS).

A unidade de Cotia tem 120m², ambientes acessíveis, capacidade para 10 residentes, equipe de profissionais como assistência social, acompanhamento psicólogo e cuidados diários.

A inauguração da unidade teve participação da secretária de Desenvolvimento Social, Célia Parnes, e da secretária da Pessoa com Deficiência, Célia Leão.


Montagem com duas fotos. Acima, uma sala com uma mesa e quatro cadeiras ao centro. Ao redor, mais cadeiras e dois aparadores. Na imagem abaixo, área externa, com uma cobertura de madeira e telhas.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.