Representatividade feminina é destaque no Festival Sem Barreiras

Representatividade feminina é destaque no Festival Sem Barreiras

Maior evento cultural para artistas com deficiência no País apresenta 75 espetáculos durante sete dias. Neste ano será online, transmitido pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência de São Paulo. Programação tem participações internacionais.

Luiz Alexandre Souza Ventura

04 de dezembro de 2020 | 14h21

Use 26 recursos de acessibilidade digital com a solução da EqualWeb clicando no ícone redondo e flutuante à direita, ouça o texto completo com Audima no player acima, acione a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda ou acompanhe o vídeo no final da matéria produzido pela Helpvox com a interpretação na Língua Brasileira de Sinais.


Em um palco com piso de tacos de madeira, rodeado de flores e decorado com girassóis, livros e plantas, dois artistas se apresentam, um homem e uma mulher. Ela está na cadeia de rodas. Crédito: Reprodução.

Descrição da imagem #pracegover: Em um palco com piso de tacos de madeira, rodeado de flores e decorado com girassóis, livros e plantas, dois artistas se apresentam, um homem e uma mulher. Ela está na cadeia de rodas. Crédito: Reprodução.


A representatividade feminina é o destaque da segunda edição do ‘Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência’, maior evento do setor no País, organizado pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED) e da Secretaria Municipal de Cultura (SMC), entre os dias 7 e 13 de dezembro.

São 75 espetáculos realizados em 20 espaços para promover o protagonismo e o empoderamento da pessoa com deficiência. Tudo será online, transmitido pela SMPED por Facebook e YouTube, com audiodescrição, legendas e Libras.

A programação completa está na página FestivalSemBarreiras.prefeitura.sp.gov.br

Na grade estão debates, exposições, entrevistas, rodas de conversa, música, teatro, dança, circo, contação de histórias, literatura, fotografia e outras atividades sobre inclusão e acessibilidade, igualdade de gênero, empoderamento, raça, conceitos, preconceitos e a pandemia.

E no festival infantil, temas fundamentais sobre o universo da pessoa com deficiência, diversidade, preconceitos e capacitismo.

Após cada apresentação, os artistas participam em uma live para falar sobre suas trajetórias e conversar sobre o espetáculo apresentado.

O Sem Barreiras tem apoio da Biblioteca Mário de Andrade, Itaú Cultural, SESC, Instituto Moreira Salles, MASP, Casa das Rosas, Japan House, Centro Cultural Coreano no Brasil, Pinacoteca, Museu da Diversidade Sexual, Museu do Futebol, Tom Brasil, AACD, Acessibiliza_sp, Arte 1, Beplay, Casa Hunter, Cognizant, Fundação Dorina Nowill, Hand Talk, Sodexo, Tela Mágica, TV Cultura, SPTrans, CPTM, Metrô e Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo (SEDPcD).

Direto de Londres – A atriz Cheryl Martin apresenta o show ‘One Woman’e o ativista Justin Edgar mostra a coleção do movimento ‘Ajuste Razoável’, Reasonable Adjustment (RAD).



Vídeo produzido pela Helpvox com a versão da reportagem na Língua Brasileira de Sinais.

Para receber as reportagens do #blogVencerLimites no Whatsapp, mande ‘VENCER LIMITES’ para +5511976116558 e inclua o número nos seus contatos. Se quiser receber no Telegram, acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.