Rio tem exposição de fotos raras de Alberto de Sampaio com acessibilidade para cegos

Rio tem exposição de fotos raras de Alberto de Sampaio com acessibilidade para cegos

Imagens descobertas pela curadora Adriana Martins Pereira têm mais de 100 anos. Mostra está em cartaz no Centro Cultural Correios até 4 de dezembro, com entrada gratuita.

Luiz Alexandre Souza Ventura

01 Novembro 2016 | 12h23

0002_Morro do Castelo_2B - Copia


Está em cartaz no Centro Cultural Correios Rio de Janeiro, até o dia 04 de dezembro, a ‘Exposição Fotográfica Lentes da Memória – A Descoberta da Fotografia de Alberto de Sampaio (1888-1930)’. A entrada é gratuita. As fotos têm mais de 100 anos e foram descobertas pela curadora Adriana Martins Pereira.

A mostra tem diversos recursos de acessibilidade para pessoas cegas ou com deficiência visual, como canetas ‘pentops’, que funcionam como audioguias e permitem aos visitantes ouvir a descrição dos ambientes da exposição e de parte significativa do acervo de fotos. Há também fotografias táteis, impressas em 3D, que podem ser tocadas.

Exposicao_AlbertodeSampaio

É possível ainda passear pelas obras táteis com os olhos vendados ouvindo a descrição de imagens. Há também uma maquete tátil do espaço da exposição e de objetos que estarão expostos, como a máquina fotográfica e câmera de filmar, muito utilizadas por Alberto de Sampaio. Cada fotografia está ligada ao um QR Code que permite acesso à descrição no smartphone.

De terça-feira a domingo, audiodescritores recebem grupos previamente agendados e acompanham pessoas com deficiência visual durante a visita. Para agendar, ligue (21) 99-466-2096 e procure o Gustavo.


AlbertodeSampaio

Alberto de Sampaio (1870/1931), advogado e fotógrafo amador, viveu nas cidades do Rio de Janeiro e Petrópolis. Iniciado na fotografia em 1888, aos 18 anos, teve seu período de maior atividade entre 1905 e 1914. Seguia a corrente que valorizava fotos abstratas e desfocadas, para sugerir questões subjetivas. Utilizou grandes câmeras de madeira como a Perken, Son & Rayment (fabricada entre 1892 e 1899) e versões mais modernas como a The Sanderson e a Folding Pocket Kodak (ambas fabricadas em 1904), precursoras da fotografia pessoal.


SERVIÇO:
Centro Cultural Correios do Rio de Janeiro
Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro | Contato: (21) 2253-1580
Período da exposição: até 04 de dezembro
Aberta de terça-feira a domingo, entre 12h e 19h
Entrada gratuita

COMO CHEGAR:
O Centro Cultural Correios Rio de Janeiro localiza-se no Centro da cidade do Rio de Janeiro e encontra-se instalado em um edifício histórico, que integra o Corredor Cultural, tendo como vizinhos a Casa França Brasil e o Centro Cultural do Banco do Brasil.

Metrô: A estação de metrô mais próxima é a Uruguaiana. Ao sair da estação deve-se caminhar pela Rua da Alfândega em direção à Rua Primeiro de Março. Chegando à Rua Primeiro de Março deve-se caminhar pela Travessa Tocantins até o Centro Cultural Correios.

Ônibus: Zona Sul X Centro: Linhas que passem pela Rua Primeiro de Março. Deve-se desembarcar no último ponto da Rua Primeiro de Março, caminhar em direção à Candelária até a Travessa Tocantins à direita. A Travessa Tocantins leva ao Centro Cultural Correios.

Central X Centro: Linhas que passem na Candelária. Desembarcar na Candelária, caminhar em direção à Rua Primeiro de Março. Atravessar a rua em frente ao Centro Cultural Banco do Brasil. Atravessar o estacionamento do Centro Cultural Banco do Brasil até à Rua Visconde de Itaboraí onde se encontra o Centro Cultural Correios.

FICHA TÉCNICA:
Curadoria: Adriana Martins Pereira
Patrocínio: Unipar Carbocloro
Produção: Arte A Produções
Design expográfico: Adriana Milhomem/Luz em Formas
Audiodescrição: Graciela Pozzobon/Cinema Falado Produções
Consultoria em Audiodescrição: Lêda Spelta
Recursos Técnicos de Audiodescrição: Fundação Dorina Nowill para Cegos

Acompanhe o blog Vencer Limites nas redes sociais