RJ começa a vacinar pessoas com síndrome de Down, paralisia cerebral e autistas

RJ começa a vacinar pessoas com síndrome de Down, paralisia cerebral e autistas

Posto montado no Maracanã atendeu 207 pessoas com deficiência no primeiro dia de imunização. Governo estadual mapeou a população com deficiência para definir a distribuição correta de doses da vacina contra a covid-19. Pedido foi apresentado pelo deputado federal Otavio Leite.

Luiz Alexandre Souza Ventura

29 de abril de 2021 | 14h25

Foto de uma jovem com síndrome de Down ao lado de dois técnicos de enfermagem, após receber a primeira dose da vacina contra covid-19. A jovem tem cabelos loiros e longos, usa máscara de proteção facial e faz sinal de vitória com a mão. Crédito: Governo RJ.

Descrição da imagem #pracegover: Foto de uma jovem com síndrome de Down ao lado de dois técnicos de enfermagem, após receber a primeira dose da vacina contra covid-19. A jovem tem cabelos loiros e longos, usa máscara de proteção facial e faz sinal de vitória com a mão. Crédito: Governo RJ.


O governo do estado de RJ começou a aplicar a primeira dose da vacina contra covid em pessoas com paralisia cerebral, síndrome de Down e autistas. O posto montado no estacionamento do estádio do Maracanã atendeu nesta quarta-feira, 28, primeiro dia de imunização desse público, 207 pessoas com deficiência.

Desde janeiro, a pedido do deputado federal Otavio Leite (PSDB-RJ), que é membro da Frente Parlamentar de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência do Congresso Nacional – em reunião com o secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves, representantes do Instituto Benjamin Constant (IBC), do Instituto Nacional de Educação dos Surdos (INES), da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae Brasil), da Federação das Pestalozzis e da Federação das Instituições de Pessoas com Deficiência (FEBIEX) -, o governo do RJ vem mapeaando o número de pessoas com deficiência no estado e seus municípios de residência para definir uma distribuição correta de doses da vacina, específicas para essa população.

“Essas pessoas estavam esquecidas”, afirmou o secretário de Saúde, Carlos Alberto Chaves. “É um projeto piloto, em parceria com a secretaria de Saúde da capital, que terá o conceito ampliado para outros municípios”, acresentou Chaves. “Ao fim da ação, será possível obter um cadastroda quantidade de pessoas que fazem parte desse grupo”, completou o secretário.

O agendamento para a vacinação no posto exclusivo deve ser feito pelo aplicativo ‘Vacinação Covid RJ (iOS e Android) ou formulário na página vacinacaocovid19.saude.rj.gov.br. A confirmação do dia e do horário de atendimento são enviados por mensagens SMS em até 48h. A previsão é que sejam imunizadas 210 pessoas por dia.

De acordo com a secretaria estadual de Saúde do RJ, 2.458 pessoas já se cadastraram, 2.400 foram agendadas e receberam o SMS. Quem tiver dúvidas pode ligar para 0800-025-5525.


Foto de uma mulher ao lado de um jovem com paralisia cerebral e do deputado federal Otávio Leite. Eles exibem em folheto sobre a vacinação de pessoas com deficiência. Crédito: Divulgação.

Descrição da imagem #pracegover: Foto de uma mulher ao lado de um jovem com paralisia cerebral e do deputado federal Otávio Leite. Eles exibem em folheto sobre a vacinação de pessoas com deficiência. Crédito: Divulgação.


Para receber as reportagens do
#blogVencerLimites no Telegram,
acesse t.me/blogVencerLimites.



Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.