Basquete feminino em cadeira de rodas vence o Sul-Americano

Basquete feminino em cadeira de rodas vence o Sul-Americano

Primeira colocada no ranking da América do Sul, a Seleção Brasileira, que venceu também a Copa América, em 2013, chegou ao título invicta, após enfrentar Argentina, Peru e Colômbia.

Luiz Alexandre Souza Ventura

10 Março 2015 | 13h52

Curta Facebook.com/VencerLimites
Siga @LexVentura
Mande mensagem para blogvencerlimites@gmail.com
O que você precisa saber sobre pessoas com deficiência

“Foi uma excelente conquista de um grupo coeso e unido”, diz o treinador Tiago Baptista. Foto: Divulgação

O Brasil conquistou, na última sexta-feira, 6, a medalha de ouro no Campeonato Sul-Americano Feminino de Basquete em Cadeira de Rodas, ao vencer a Argentina por 52 a 33, em Cáli, na Colômbia. Primeira colocada no ranking da América do Sul, a Seleção Brasileira, que venceu também a Copa América, em 2013, chegou ao título invicta, após enfrentar Argentina, Peru e Colômbia. Além do Brasil, as equipes da Argentina e do Peru, que ficaram com as medalhas de prata e bronze, garantiram vagas para o Parapan 2015, que será disputado em agosto, em Toronto, no Canadá.

“A Argentina ajudou a deixar a conquista mais valorizada porque fez uma partida dura, um bom jogo. As meninas se comportaram bem, principalmente na parte defensiva e na questão de seguir o sistema que a gente vem implementado. Ainda sofremos um pouquinho na parte de finalização, perdemos muitas bolas fáceis. Também tivemos uma certa dificuldade em ajustar a forma como a arbitragem conduziu o jogo, mas é uma coisa que temos que nos adaptar”, diz Tiago Baptista, treinador da equipe brasileira.

A presidente da Confederação Brasileira de Basquete em Cadeira de Rodas (CBBC), Naíse Pedrosa, ressaltou o valor da experiência para a seleção. “Além de trazer o troféu de campeão Sul-Americano e a vaga para o Parapan, foi uma excelente oportunidade para a comissão técnica observar técnica e taticamente as nossas atletas, fora e dentro da quadra. Foi uma missão muito importante e muito válida”. “Foi uma excelente conquista de um grupo coeso e unido. Agora, temos que pensar no próximo passo rumo aos novos desafios. Daqui pra frente, queremos buscar cada vez mais novas oportunidades para manter essa meninada em treinamento. É isso que pode nos ajudar a encontrar o nosso diferencial”, afirma Tiago Baptista.

Mais conteúdo sobre:

Basquete em cadeira de rodas