Sistema inovador que ensina movimentos para próteses chega ao Brasil

Sistema inovador que ensina movimentos para próteses chega ao Brasil

'Myo Plus', da Ottobock, capta sinais dos músculos do antebraço e transporta para a mão mecânica articulada. Usuário controla aprendizado por aplicativo. Para comprar, é preciso fazer avaliação em uma das clínicas da rede em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre ou Curitiba. Orçamento é personalizado e pode variar entre R$ 30 mil e R$ 150 mil.

Luiz Alexandre Souza Ventura

05 de fevereiro de 2020 | 17h55


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: Modelo de prótese com o sistema Myo Plus está encaixada ao braço direito do usuário. O equipamento tem as cores pretas, verde e prateada. A mão articulada segura um copo. Crédito: Divulgação.


O sistema com inteligência artificial para próteses de mão ‘Myo Plus’, que aprende movimentos, já está disponível no Brasil. A tecnologia foi criada pela alemã Ottobock. Para adquirir, é necessário passar por avaliação em uma das clínicas da rede em São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre ou Curitiba. O orçamento é personalizado e pode variar entre R$ 30 mil a R$ 150 mil.

“Quando uma pessoa pensa num aperto da mão, o cérebro envia sinais correspondentes aos músculos, que executam essa ordem. Após uma amputação, a mão e sua função continuam mapeadas pelo cérebro, a pessoa pode imaginar o movimento e os sinais são enviados, mesmo quando não há mais o membro”, explica Thomas Fuchsberger, médico que desenvolveu os primeiros testes do sistema com a Ottobock e a Universidade de Tübingen, na Alemanha.

“Myo Plus tem oito eletrodos que medem os padrões de movimento dos músculos no antebraço e transformam em ações da mão”, diz o médico. “Quando o usuário procura uma garrafa de água, o dispositivo reconhece os sinais e dá o comando automaticamente”, afirma o especialista.

“A prótese aprende com o usuário, pode receber e processar sinais, replicar movimentos e funções das mãos, ser controlada mais rapidamente e com mais precisão. Isso deixa o manuseio mais adequado à rotina da pessoa, o que aumenta a aceitação ao equipamento”, destaca Thomas Fuchsberger.



Aplicativo – Após ajuste inicial, o usuário pode gerenciar a prótese por um aplicativo que visualiza os padrões registrados. O maior desafio é reconhecer as pequenas diferenças entre os movimentos.

O sistema identifica e atribui corretamente padrões diferentes. Com essa comunicação estabelecida, o usuário pode salvar qualquer progresso, fazer seus próprios ajustes e dar mais precisão a funções minimalistas das mãos, como o manuseio do celular ou a utilização do teclado, o que gera autoconfiança.

“Ter mais segurança no manuseio da prótese ajuda na reintegração social e profissional. No caso de acidentes de trabalho, esperamos redução do tempo de reabilitação e mais pessoas retomando seus postos no mercado de trabalho”, completa Thomas Fuchsberger.


Descrição da imagem #pracegover: Jovem acessa o aplicativo do Myo Plus em um tablet, usando a prótese de mãe que tem o sistema instalado. Crédito: Divulgação.


Comprar – Para aquisição da prótese Myo Plus, é necessário passar por avaliação em uma das clínicas da Ottobock, com eletromiografia, que vai verificar a rede muscular e nervosa do membro com amputação. Além do exame mioelétrico, é feita avaliação física, análise do nível de atividade e da rotina diária para atestar que será possível controlar o sistema.

“É um sistema intuitivo, mas a pessoa precisa passar por essas avaliações, que funcionam inclusive como um treino para o equipamento. Mesmo se a primeira condução não for perfeita, essa coordenação pode ser aprimorada”, esclarece a fisioterapeuta e ortoprotesista Fernanda Santos, responsável técnica da Ottobock no Rio de Janeiro.

“O usuário imagina o movimento e faz a contração dos músculos que executariam esse movimento. Mesmo com os músculos restantes, ele desenvolve um padrão de contração muscular. O sistema reconhece esse padrão e, a partir disso, manda o sinal elétrico para a mão e o punho, coordenando os movimentos da prótese”, diz a fisioterapeuta.

“A conexão entre a mão, o sistema intuitivo e o coto é feita por encaixe semirrígido. O coto mantém contato com os eletrodos ligados ao encaixe. No Brasil, apenas três técnicos têm certificação do Myo Plus atualmente”, conclui Fernanda Santos.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube