SP terá tradutores de Libras em 28 cidades nas eleições

SP terá tradutores de Libras em 28 cidades nas eleições

Justiça Eleitoral nomeou 165 colaboradores para orientar cidadãos durante a votação em todo o Estado. No total, 191.360 eleitores paulistas têm algum tipo de deficiência, sendo que 3.379 são surdos ou têm deficiência auditiva. Ação segue resolução do TSE sobre acessibilidade.

Luiz Alexandre Souza Ventura

17 Setembro 2016 | 16h14

TRE-SP

No próximo dia 2 de outubro, eleitores de todo o País vão às urnas para escolher prefeitos e vereadores. É uma obrigação que deve ser cumprida por cidadãos com idade entre 18 e 70 anos. Para esse exercício de cidadania, a Justiça Eleitoral precisa garantir que todas as pessoas tenham acesso ao local de votação e que consigam registrar seus votos, inclusive pessoas com deficiência.

Recursos de acessibilidade devem fazer parte da estrutura dos locais de votação, conforme a resolução 23.381/2012 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que estabelece “implantação gradual de medidas para remover barreiras físicas, arquitetônicas, de comunicação e de atitudes a fim de promover o acesso, amplo e irrestrito, com segurança e autonomia, de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida no processo eleitoral”.

Entre as determinações está a presença de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais. No Estado de SP, segundo o TRE (Tribunal Regional Eleitoral), foram nomeados 165 colabores fluentes em Libras, que irão atuar em 28 município, para atender e orientar 3.379 cidadãos surdos ou com deficiência auditiva.

O maior contingente estará em Guarulhos, com 46 especialistas, seguido de Mauá, com 31. Na capital paulistas, os cartórios eleitorais de Vila Maria (254°ZE) e de Campo Limpo (328°ZE) terão dois auxiliares cada um em seus locais de votação.

A equipe será identificada por camisetas e orientará o eleitor sobre a localização das seções, alterações do local de votação e eventuais questões durante o primeiro turno e o segundo, se houver.

O Estado de SP tem 191.360 eleitores com deficiência e 11.459 seções com acessibilidade, sendo 2.377 na capital, com rampas, elevadores e portas com vão de 80 centímetros, preferencialmente próximas a estacionamentos, além de fones de ouvido eleitores cegos ou com deficiência visual. As urnas eletrônicas estão habilitadas com o sistema de áudio e apresentam a opção do teclado em braille e marca de identificação em sua tecla de número 5.

Acompanhe o blog Vencer Limites nas redes sociais