“Tem um atraso enorme nas políticas públicas para as pessoas com deficiência”

AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

“Tem um atraso enorme nas políticas públicas para as pessoas com deficiência”

Felipe Rigoni, cego, deputado federal, foi o entrevistado desta semana no programa Roda Viva, da TV Cultura. "O Brasil é uma federação totalmente extrativista das pessoas e não inclusiva", respondeu o parlamentar à bancada, que fez somente uma pergunta sobre as questões da população com deficiência. Leia também a matéria sobre Rigoni que o #blogVencerLimites publicou em 2017, quando ele tinha 25 anos, se preparava para morar na Inglaterra e cursar mestrado em políticas públicas na Universidade de Oxford, com bolsa da Fundação Estudar.

Luiz Alexandre Souza Ventura

19 de fevereiro de 2020 | 12h12


Ouça essa reportagem com Audima no player acima ou acompanhe a tradução em Libras com Hand Talk no botão azul à esquerda.


Descrição da imagem #pracegover: O deputado federal Felipe Rigoni, de 28 anos, está sentado no centro do estúdio do programa Roda Viva, da TV Cultura. Ele tem pele clara, cabelos castanhos e curtos, veste paletó de cor azul marinho, camisa branca e gravata escura. Crédito: Reprodução.


“Lembra que você tem uma escolha”, foi o conselho que o deputado federal Felipe Rigoni (PSB/ES) recebeu do pai quando tinha 15 anos, idade em que ficou cego, após passar por 17 cirurgias.

“Naquele dia eu não entendi, mas com o tempo percebi que ele falava sobre a escolha da minha atitude em relação ao que eu estava vivendo”, contou o parlamentar nesta semana em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura. A íntegra está no YouTube.

Rigoni perdeu a visão após contrair aos 6 anos uma uveíte, inflamação nos olhos que compromete a úvea, conjunto formado íris, corpo ciliar e coroide.

Os jornalistas que formaram a bancada mantiveram seus questionamentos concentrados em temas fundamentais, como as articulações entre o Congresso e o Poder Executivo, as reformas política e tributária, os posicionamentos do deputado em relação ao governo Bolsonaro e às metas do ministro da Economia, Paulo Guedes, a representatividade de Rigoni no grupo de estreantes na Câmara e outros temas dentro dessa mesma bolha.

A única pergunta que tratou especificamente da atuação do deputado nas demandas da população com deficiência foi feita no último bloco pela jornalista Tatiana Farah, do Buzzfeed, com um complemento da apresentadora Vera Magalhães, que pediu esclarecimento a respeito do que havia deixado Rigoni cego.



“Tenho uma preocupação com as pessoas com deficiência de forma global. Somos 1/4 (um quarto) da população brasileira e tem um atraso enorme em relação às políticas públicas para as pessoas com deficiência”, afirmou Rigoni.

“A principal luta hoje é pela implementação da avaliação biopsicosocial, que está no artigo 2 da Lei Brasileira de Inclusão. Essa avaliação vai permitir categorizar as pessoas com deficiência, dar os benefícios corretos e direcionar as políticas públicas de forma personalizada. É isso que o mundo inteiro e a Convenção Internacional (da ONU) dizem que precisa ser feito, têm feito e deu certo”, disse o deputado.

“Estamos nessa luta e o governo já está montando um comitê para discutir e implementar essa avaliação nos próximos meses”, comentou Rigoni.

Vale destacar que a construção do comitê citado pelo parlamentar é constantemente divulgada pela ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) e pela secretária nacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência, Priscilla Gaspar.

Essa ação é uma das bases do projeto ‘Brasil Inclusão’, anunciado pelo MMFDH em 3 de fevereiro, que promete também para este ano regulamentar a plataforma digital do cadastro único e melhorar a empregabilidade das pessoas com deficiência.

Rigoni foi questionado sobre possíveis dificuldades que enfrentaria no Congresso por ser cego. “Nunca tive. Ao contrário, todos os parlamentares me ajudam quando meus assessores não estão presentes”, contou.


LEIA TAMBÉM: “Você precisa agarrar as oportunidades”, entrevista do #blogVencerLimites com Felipe Rigoni publicada em 15/08/2017


“Sou cego há 14 anos e, provavelmente, serei cego pelo resto da vida. O que determina a qualidade da minha vida é a atitude que tenho em relação a isso. Tem uma série de coisas a serem feitas”, destacou Rigoni no Roda Viva.

“No momento atual do Brasil, tem muitas escolhas difíceis a serem feitas. O Brasil foi construído com uma base não republicana, é uma federação totalmente extrativista das pessoas e não inclusiva. É nós vamos ter que fazer um monte de reformas, muito duras, para começar a ter a possibilidade de tornar o Brasil um país realmente justo. E eu tenho certeza que nós vamos fazer essa escolha”, completou o deputado.

Para receber nossas notícias direto em seu smartphone, basta incluir o número (11) 97611-6558 nos contatos e mandar a frase ‘VencerLimites’ pelo Whatsapp. VencerLimites.com.br é um espaço de notícias sobre o universo das pessoas com deficiência integrado ao portal Estadão. Nosso conteúdo também está acessível em Libras, com a solução Hand Talk, e áudio, com a ferramenta Audima. Todas as informações publicadas no blog, nas nossas redes sociais e enviadas pelo Whatsapp são verdadeiras, produzidas e divulgadas após checagem e comprovação. Compartilhe apenas informação de qualidade e jamais fortaleça as ‘fake news’. Se tiver dúvidas, verifique.


Mande mensagem, crítica ou sugestão para blogVencerLimites@gmail.com

Acompanhe o #blogVencerLimites nas redes sociais

Facebook Twitter Instagram LinkedIn YouTube


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: