Vencer Limites na Rádio Eldorado – 20

Vencer Limites na Rádio Eldorado – 20

A coluna Vencer Limites na Rádio Eldorado FM (107,3) vai ao ar toda terça-feira, às 7h20, ao vivo, no Jornal Eldorado.

Luiz Alexandre Souza Ventura

25 de janeiro de 2022 | 14h18


Neste 20º episódio da coluna Vencer Limites na Rádio Eldorado FM, falo sobre os desafios da acessibilidade e da inclusão na cidade de São Paulo, que completa 468 anos.

Se alguém vier a público e afirmar que pretende tornar a cidade de São Paulo 100% acessível em quatro anos, em dez anos, em 50 anos, convém questionar essa possibilidade, porque os desafios que a capital paulista impõe no que diz respeito à acessibilidade são tão gigantes quanto os números que definem a cidade.

São 1.521.110 km² e com 12.396.372 de habitantes. E, de acordo com a Base de Dados dos Direitos das Pessoas com Deficiência, 892.348 habitantes com deficiência em São Paulo (42% visual, 26% física, 15% intelectual e 14% auditiva).

Sendo assim, tornar São Paulo acessível é um trabalho sem fim. E isso depende do poder público, executivo e legislativo, da construção de políticas públicas atualizadas, da quebra dos preconceitos e do capacitismo, da ampliação do conhecimento da sociedade a respeito desse universo, da participação efetiva da população no dia a dia, com o uso correto dos espaços reservados, do entendimento dos setores produtivos sobre a importância de receber e atender a população com deficiência, no comércio, no turismo, na inclusão no mercado de trabalho, na educação (desde o ensino básico até mestrados e doutorados), na participação real da população com deficiência nos eventos culturais e de lazer, seja como público consumidor ou como profissional que se apresenta ou que organiza esses eventos.

Tem uma série de conquistas que precisam ser celebradas e equipamentos municipais que fazem parte da estrutura municipal e funcionam bem, como a Central de Intermediação de Libras, a CIL, que apoia pessoas surdas que se comunicam na Língua Brasileira de Sinais nos serviços públicos, postos de saúde, delegacias, etc. Tem a Paraoficina Móvel, que leva aos bairros uma van com serviços gratuitos de manutenção e reparos em cadeiras de rodas, órteses, próteses, muletas, bengalas e andadores.

São Paulo tem um Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência e uma Comissão Permanente de Acessibilidade.

A Prefeitura emite, por meio da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência, o Selo de Acessibilidade Arquitetônica e o Selo de Acessibilidade Digital. Na página da secretaria municipal você pode consultar, por exemplo, o mapa da rede de serviços públicos municipais com recursos de acessibilidade para a pessoa com deficiência.

E tem ainda toda a estrutura de Cultura Acessível, a Virada Inclusiva, o Festival Sem Barreiras.

Agora, se você conversar com as pessoas com deficiência nas diversas regiões da cidade e perguntar sobre o que tem de bom e o que ainda falta, a lista de reclamações vai ser bem grande, desde as questões mais básicas como a qualidade do transporte público até assuntos mais abrangentes como a violência e a discriminação.

Com tudo isso, de bom e de ruim, São Paulo é sempre uma referência.

Acessibilidade e inclusão em São Paulo

Filme – Neste episódio, ao invés de dar uma dica de livro, como faço toda semana, indico documentário ‘Ser Pessoa com Deficiência em Sampa’, que tem exibições organizadas pela Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência. A produção mostra o olhar, as dificuldades, a relação com a cidade e as necessidades específicas de cada deficiência, representadas em dez histórias.

Foi lançado em 3 de dezembro de 2021, para celebrar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência.

É muito interessante porque as protagonistas são as pessoas com deficiência e tudo o que está na tela tem a observação das pessoas com deficiência.


Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.