‘Vivência Musical’ com acessibilidade

‘Vivência Musical’ com acessibilidade

A transformação do atual cenário do ensino musical nas escolas do País é a meta dos encontros realizados pelo 'Brasil de Tuhu'. Edição deste fim de semana, no Rio de Janeiro, tem participação do percussionista venezuelano Estuardo Quiñones.

Luiz Alexandre Souza Ventura

22 Outubro 2015 | 13h47

———-

Usar a música no estímulo ao pensamento e à expressão, para ampliar o conhecimento, é a proposta do ‘Vivência Musical’, evento promovido pelo programa ‘Brasil de Tuhu’ neste fim de semana no Rio de Janeiro, com atenção especial à acessibilidade. Estão marcados ciclos de capacitação com paletras gratuitas para profissionais que trabalham com pessoas com deficiências visuais e auditivas.

‘Brasil de Tuhu’ é uma realização da Baluarte Cultura, ao lado do Quarteto Radamés Gnattali, e tem coordenação pedagógica da violinista Carla Rincón. Em 2015, adotou o tema ‘Música e Acessibilidade’ como bandeira e produziu as primeiras videoaulas acessíveis (audiodescrição e intérprete de Libras).

Nesta edição do ‘Vivência Musical’, o convidado é o percussionista venezuelano Estuardo Quiñones, integrante do Sistema de Orquestras da Venezuela (El Sistema). A ação tem patrocínio do Governo do RJ, da Prefeitura do Rio de Janeiro, da Oi e apoio da Oi Futuro. O encontro será realizado no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian, na Praça Onze.

As inscrições podem ser feitas pela internet (clique aqui).

SERVIÇO:
Vivência Musical – Brasil de Tuhu
Data: 24 e 25 de outubro de 2015
Horário: 9h às 17h
Local: Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian
Endereço: Rua Benedito Hipólito, nº 125 – Praça Onze – Centro
Inscrições pela internet: https://goo.gl/mXG20W
Evento gratuito – 50 vagas

———-
Saiba mais – Impulsionado pela Lei Federal nº 11.769/2008, que inclui a música na grade curricular das escolas brasileiras, o Brasil de Tuhu surgiu em 2009 e, desde então, realiza concertos didáticos, experiências musicais e vivências musicais, além de liberar na internet (www.brasildetuhu.com.br) conteúdos gratuitos destinados à sensibilização, formação e desenvolvimento musical de crianças e adolescentes.

Com o objetivo de ampliar o acesso à música no Brasil, a Baluarte Cultura e o Quarteto Radamés Gnattali se uniram para a criação do programa, que chega à sua 7ª edição em 2015 e conta com o patrocínio da Prefeitura do Rio, por meio da Secretaria Municipal de Cultura.

Estuardo Quiñones é , integrante do El Sistema, da Venezuela. Foto: Reprodução

Estuardo Quiñones integra o El Sistema, da Venezuela. Foto: Reprodução

Estuardo Quiñones – O músico nasceu em Maracay, capital de Aragua, na Venezuela. Atuou no ano 2000 como professor no Programa de Teoria Musical, Percussão e Integração Social dos jovens e crianças da Orquestra de Aragua, e realizou diversos seminários e montagens de obras sinfônicas para Concerto Inaugural de Educação Especial em Aragua.

Entre 2002 e 2003, participou dos Seminários de Musicografia Braile, pelo Programa de Integração da Orquestra de Jovens e Crianças de Lara. Também em 2003, esteve no programa de integração social Ensamble de Percusión, um grupo formado por crianças e jovens com deficiência visual.

Foi professor de Musicografia Braile no Centro de Atenção Integral de deficientes visuais do Estado Aragua, instituição vinculada ao Ministério da Educação. Integrou a Orquestra Sinfônica Bolivariana de Carabobo, como músico da fila de percussão e foi professor do departamento de Educação Musical, na especialidade de Educação Especial, na Universidade Pedagógica Experimental Libertador em Maracay (UPEL).

Em 2009, ministrou cursos e oficinas em braille na Fundação Mevorah Florentin. No mesmo ano, assumiu a direção do Programa de Educação Especial do Sistema de Coros e Orquestras do Estado Aragua e ingressou como músico na linha de percussão da Orquestra Sinfônica de Aragua (OSA).

Participou como orador em duas edições do Seminário Latino-Americano de Educação Musical ‘Intercultura, Realidade e Identidade em Educação da América Latina’, realizado em Valencia (Venezuela), em 2012, e Montevidéu (Uruguai), em 2013, organizado pelo Fórum Latino-americano Educação Especial. Em 2014, esteve no Brasil, quando participou do seminário ‘Inclusão em Coletivos de Música’, na cidade de Santos, no litoral sul de São Paulo. No mesmo ano, assumiu as cadeiras de percussão do Conservatório de Música do Estado e Escola de Música Federico Villena.

Atualmente, integra a delegação do Sistema de Orquestras da Venezuela (El Sistema), ligado à Coordenação Nacional de Integração Social, cujo principal objetivo é a criação, apoio e cooperação internacional dos Programas de Educação Especial.

———-

Mais conteúdo sobre:

Brasil de TuhuMúsica