Jornalista argentina morre em acidente de carro na Fernão Dias

María Soledad Fernández estava no Brasil para a cobertura da Copa e voltava de São Paulo, onde a Argentina venceu a Suíça

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

02 de julho de 2014 | 12h30

BELO HORIZONTE - A jornalista argentina María Soledad Fernández, de 26 anos, que estava no Brasil acompanhando a atuação da seleção de seu país na Copa do Mundo, morreu na madrugada desta quarta-feira, 2, em um acidente na Rodovia Fernão Dias (BR-381), que liga São Paulo a Belo Horizonte. O carro em que ela estava capotou e caiu em uma ribanceira próximo a Oliveira, na região centro-oeste de Minas.

Além da morte de María Soledad, o acidente deixou feridos o motorista Fernando Javier Bruno, de 41 anos, e Juan Daniel Berazagueti, de 43. O trio voltava de São Paulo, onde a Argentina conquistou vaga para as quartas de final da Copa ao derrotar a Suíça por 1 a 0 na Arena Corinthians, à capital mineira. A seleção do país vizinho está baseada no Centro de Treinamento do Atlético-MG, em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o Doblô alugado de placa OXH-5594 em que eles estavam saiu da pista na altura do quilômetro 619 e caiu na ribanceira de cerca de seis metros. Bruno e Berazagueti foram levados para a Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Oliveira e, em seguida, transferidos para o Hospital Regional de Betim, também na região metropolitana da capital mineira, onde estão internados sem risco de morte.

Após o acidente, testemunhas contaram à Polícia Rodoviária Federal (PRF) que um Golf teria batido na traseira do Doblô. O Golf foi encontrado em um posto de gasolina próximo ao local do acidente. Dois homens de São Paulo que estavam no veículo alegaram que haviam batido em um caminhão, mas uma perícia no Golf encontrou indícios de que ele realmente teria se envolvido no acidente com o carro onde estava a jornalista. A dupla foi encaminhada à delegacia de Oliveira para prestar depoimento e liberada em seguida.

O consulado da Argentina em Belo Horizonte acompanha o caso e informou que está prestando assistência às famílias das vítimas e um integrante da representação diplomática seguiu para Oliveira para providenciar a liberação do corpo de María Soledad. Ela era filha do também jornalista Tití Fernández, que, assim como María, está no Brasil fazendo a cobertura da Copa do Mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.