126 milhões escolhem hoje seu presidente

O Brasil volta às urnas neste domingo para decidir em segundo turno quem governará o País nos próximos quatro anos, no 28º período presidencial desde a Proclamação da República. O Tribunal Superior Eleitoral espera totalizar o voto dos cerca de 126 milhões de eleitores até as 23 horas.Luiz Inácio Lula da Silva, de 61 anos, tenta um segundo mandato depois de uma gestão marcada por denúncias de corrupção, crescimento modesto e ampliação de programas sociais. O ex-governador tucano Geraldo Alckmin, de 53 anos, enfrentou resistências à sua candidatura dentro de seu partido, usou a ética como principal bandeira de campanha e conseguiu levar a disputa para o segundo turno. Na etapa final, no entanto, passou boa parte do tempo na defensiva.Pesquisas dão ampla vantagem a Lula. O petista tem 24 pontos de dianteira em levantamento do Ibope divulgado no sábado - batia o tucano por 62% a 38%, considerando os votos válidos. Mantida a diferença na votação deste domingo, Lula repetirá a vantagem obtida em 2002 sobre José Serra, então candidato tucano, vencido na urna por 61,2% a 38,7%.A alta voltagem do embate entre os dois prosseguiu até o último momento. No sábado, Lula apontou ´desespero político´ de seus adversários e disse que os tucanos encontraram uma ´laranja podre´ para fazer o ´trabalho sujo´ na reta final - uma referência ao fato de uma dirigente do PSDB de Pouso Alegre (MG) ter indicado à Polícia Federal testemunha que deu depoimento falso sobre a origem do dinheiro destinado a pagar pelo dossiê Vedoin. O presidente participou de caminhada em São Bernardo do Campo, seu berço político.Alckmin fez campanha no Rio e disse acreditar em um resultado favorável. ´Sinto a onda da virada nas ruas´, declarou. ´Precisamos corrigir muita coisa que está errada e é o povo que constrói o futuro.´ Ao responder à acusação do presidente aos tucanos, o ex-governador voltou à ofensiva. ´Essa coisa da mentira do PT vai além do discurso, é uma prática deles´, disse.Apesar do clima de confronto, dirigentes nacionais de PSDB e PT descartam haver uma espécie de terceiro turno, com o partido derrotado questionando a legitimidade da vitória do adversário. Mas isso não significa o fim da tensão entre governo e oposição. Se Lula confirmar o favoritismo, enfrentará um Senado ainda mais oposicionista - o que vai dificultar a aprovação de projetos de interesse do governo. Resultado após 23 horasA expectativa dos técnicos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) é de que o vencedor da disputa pela Presidência da República seja anunciado pelo presidente do TSE, ministro Marco Aurélio Mello, logo após as 23 horas deste domingo. A apuração deverá ser mais ágil do que no 1º turno, pois o número de candidatos é menor. Os resultados parciais da corrida presidencial devem ser divulgados a partir das 19 horas.É preciso levar o título de eleitor ou documento com foto, como RG ou carteira de motorista. A cola, com o nome e número do candidato escolhido pelo eleitor, é permitida para ajudar na hora de votar na urna eletrônica. Pedir esclarecimentos ao mesário da seção eleitoral é permitido, mas ele não pode dar opinião sobre os candidatos, nem acompanhar o eleitor à cabine de votação.Quem não for votar deve justificar também entre h e 17 horas. Não há desculpas para não fazê-lo, pois pode ser feito em qualquer seção eleitoral e até mesmo pela internet (veja informações nesta página).Segundo o TSE, o eleitor pode usar hoje camiseta, bonés, broches ou adesivos do candidato, desde que a manifestação seja ´individual e silenciosa´. Não se pode usar o celular dentro da seção eleitoral e, por isso, os aparelhos devem estar desligados. O tribunal recomenda ´bom senso´ na escolha da roupa usada na hora do voto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.