150 deixam casas em Santo Antônio

Cidade próxima de Campos do Jordão decreta estado de atenção

Simone Menocchi, TAUBATÉ, O Estadao de S.Paulo

11 Fevereiro 2009 | 00h00

Cento e cinquenta pessoas tiveram de deixar suas casas em Santo Antônio do Pinhal, na Serra da Mantiqueira, por conta da chuva que caiu na cidade na madrugada de ontem. O município decretou estado de atenção. O temporal durou três horas e foi suficiente para deixar desabrigados, destruir estradas rurais e desmoronar 12 pontes. O Rio da Prata, que corta a cidade, transbordou e as casas, além de ficarem cheias d?água, também tiveram telhados arrancados e muros destruídos. Carros foram arrastados pelas águas, mas não houve vítimas fatais. Os veículos eram da administração municipal. "A água era tão forte que uma tora de madeira foi arrastada para dentro da minha casa. Ao abrir a porta, não tivemos tempo de conter tanta água", disse a recepcionista Maria José dos Santos. Algumas casas em áreas de risco ameaçavam desabar. Dois bairros ficaram isolados por conta de quedas de barreiras em estradas rurais. Entre as vítimas que saíram correndo de casa estava o ajudante-geral Ademir dos Santos, que só teve tempo de tirar a mulher e a filha de 4 anos. "Perdi tudo, geladeira, fogão, móveis, roupas", lamentou. O pedreiro Emilio Carlos de Oliveira também teve o imóvel invadido por muita lama. As regiões do centro e dos bairros Barreiro, Reno e Lajeado foram as mais atingidas. Dois bairros rurais estão isolados. De acordo com o secretário municipal de Obras, Fernando Katayama, os prejuízos atingiram cerca de R$ 1 milhão. "Vamos levar pelo menos uma semana para tentar normalizar a situação", afirmou. A 15 quilômetros de Santo Antônio, em Campos do Jordão, a chuva também durou cerca de oito horas e fez transbordar o Rio Capivari. Houve destruição de ruas rurais e enchente nos bairros dos Melos e Vila Albertina.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.