18 integrantes da mesma família morreram

Melos deixaram Coari para comemorar o aniversário de um parente num clube de Manaus

Renata Magnenti, MANAUS, O Estadao de S.Paulo

09 Fevereiro 2009 | 00h00

Os 18 integrantes da família Melo que deixaram o município de Coari no sábado para passar a noite no Clube Nostalgia, em Manaus, para comemorar o aniversário de Omar Melo Junior, morreram. Foi Omar quem fretou o avião Bandeirante por R$ 8 mil, de acordo com o assessor de Comunicação da empresa Manaus Aerotáxi, Paulo Roberto. Roberto justificou que a Manaus Aerotáxi foi contratada pela empresa Parintins Táxi Aéreo para fazer o transporte da família. "A Parintins não tinha aeronave para fazer o voo e cedemos uma aeronave nossa." A reportagem tentou contato com a Parintins Táxi Aéreo, mas não conseguiu. De acordo com parentes, que não quiseram se identificar, estavam no turboélice da Embraer cinco famílias com o sobrenome Melo. Omar perdeu cinco dos dez irmãos - Daniel de Souza Melo, Hosana de Souza Melo, Janete Melo dos Santos, Jonas de Souza Melo, Merciclei de Souza Melo -, além de cunhados, cunhadas e sobrinhos. Abalado, Omar não quis falar com a imprensa. Em Manaus, parentes das vítimas lamentavam as mortes. Ontem, mais de 20 familiares embarcaram de Manaus para a cidade de Coari para acompanhar o velório e o enterro. Segundo o representante do município de Coari Anderson José de Souza, a família Melo é bastante conhecida no município por atuar no comércio de construção civil e estiva. "Eles conheciam todo mundo em Coari. Estamos todos perplexos diante do que aconteceu." O coronel Orlielson, da Defesa Civil de Coari, que conhece os Melos há mais de 20 anos, disse que o momento mais difícil da tragédia foi reconhecer os corpos dos integrantes da família. "Havia vítimas totalmente deformadas. A região onde o avião caiu é cheia de piranhas", acrescentou. Foi decretado luto oficial de três dias. O secretário da Casa Civil, Daniel Maciel, disse que a população de Coari está em choque com a tragédia. Os velórios dos corpos começaram ontem nos Ginásios Geraldo Grangeiro e Natanael Brasil. O enterro deverá ocorrer hoje pela manhã no Cemitério Santa Teresa. PAI E FILHA Pai de outra das vítimas, Julia Caiane Melo Duarte, Evaldo Batalha Duarte só recebeu a notícia de que sua filha havia morrido pelo menos cinco horas depois do acidente. "Não tenho contato com ela e não sabia que ela viria para Manaus", disse ele. Evaldo mora na capital e periodicamente era visitado pela filha. Juntamente com Julia morreu seu filho de 2 anos, Laio Neto Melo Pinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.