19 mil candidatos vão gastar R$ 19,79 bi nas campanhas

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou nesta quinta-feira, com base nas declarações feitas aos tribunais regionais eleitorais (TREs) nos Estados e no próprio TSE, o total dos gastos de campanha estimados pelos mais de 19 mil candidatos que disputarão as eleições majoritárias e proporcionais de outubro. Segundo o TSE, a despesa total prevista chega a R$ 19,79 bilhões. O TSE faz a ressalva de que a soma foi feita a partir da base de dados dos candidatos cadastrados até o dia 18 de julho e que pode estar faltando, nesse total, estimativas feitas por alguns aspirantes a candidato cujos registros ainda estão sendo examinadas pelo TSE.Para presidente da República, os oito candidatos registrados pelo sistema Candex do TSE devem gastar nas campanhas, juntos, R$ 279,1 milhões. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende gastar R$ 89 milhões. Quem deve gastar menos é o candidato Rui Pimenta (PCO): R$ 100 mil. A candidata Ana Maria Rangel (PRP) - incluída posteriormente na base de dados - declarou a maior previsão de gastos: R$ 150 milhões, segundo o site do TSE.Os candidatos a governador anunciam que vão gastar R$ 942,55 milhões. As campanhas mais caras para o Executivo estadual serão as feitas em São Paulo. O Estado em que as campanhas, sairão mais baratas é o Acre, onde serão gastos R$ 7,4 milhões. Para senador, os candidatos, em todos os estados, investirão nas campanhas o total de R$ 434,516 milhões. As campanhas mais onerosas, totalizados os gastos de todos os candidatos ao Senado, serão feitas também em São Paulo. Os gastos estimados somam 67,73 milhões no Estado. A corrida ao Senado sairá mais barata no Acre, onde serão gastos R$ 2,75 milhões.Os candidatos a deputado federal informaram que o valor máximo com campanhas eleitorais será de R$ 6,96 bilhões. Os maiores gastos, R$ 2,349 bilhões, estão previstos para as candidaturas do estado de São Paulo. Os candidatos do Acre farão a campanha de menor custo, com R$ 16,366 milhões.Três candidatos a deputado estadual estão entre os que vão gastar mais nas campanhas. São eles: Kelson Jorge Abraão, de Mato Grosso do Sul, Joel Cavalcanti de Oliveira, do Amazonas, e Francisco Lucieudo Marinho de Lima, também do Amazonas. Da tabela divulgada pelo TSE não constam os partidos dos candidatos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.