2 morrem em novo assalto no Morumbi

Grupo rende motorista e rouba casa, mas é pego pela polícia; 2 são presos

Camilla Haddad, O Estadao de S.Paulo

07 Agosto 2028 | 00h00

Em uma ação bem planejada, uma quadrilha seqüestrou o motorista do dono de uma mansão quando ele saía de casa e conseguiu, sem levantar suspeitas, entrar no imóvel no Morumbi, zona sul de São Paulo. Na casa, os criminosos fizeram seis empregados reféns - os proprietários não estavam no local. Quando o bando se preparava para fugir num Golf blindado da família houve troca de tiros, segundo a polícia. Dois assaltantes morreram e dois foram presos.O diretor do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc), Everardo Tanganelli, acredita que quadrilha pode ter ligação com os ladrões que assaltaram, na sexta-feira, a transportadora de valores Transbank na frente do posto do Bradesco dentro do Carrefour, no Morumbi."A quadrilha é bem grande, organizada e violenta, principalmente por causa do armamento que foi localizado com ela." Foram apreendidos uma submetralhadora caseira com silenciador, um revólver calibre 38 e uma pistola 380. Para o delegado, ontem foi preso apenas um "braço" do grupo. Os criminosos vão responder por porte ilegal de arma, formação de quadrilha, roubo e seqüestro. Segundo Tanganelli, a quadrilha costuma agir na região do Morumbi. Pega informações sobre o lugar que vão roubar e a rotina de empresários que moram na região. "Essa quadrilha também rouba transportadora, condomínio e supermercado para trocar por droga. Acreditamos que tenha ligação com o roubo do Carrefour, mas vamos aguardar as investigações." Dois funcionários da Transbank foram ontem ao Denarc para identificar os presos e saíram sem dar entrevista.A AÇÃO DE ONTEMO motorista foi rendido às 7 horas. Segundo a polícia, foi abordado no portão de casa, também na zona sul. Quatro criminosos entraram em seu Tempra e foram com ele até a mansão, onde roubaram relógios, jóias, dólares e euros. O proprietário é dono de uma construtora.Quando os criminosos perceberam o cerco policial fora da mansão, pegaram o Golf, levando o chefe de segurança como refém. Não havia espaço para fuga e, com isso, houve a troca de tiros. Os criminosos saíram do carro, e dois deles foram baleados. Eram Fernando Roberto de Souza, de 20 anos e Marcio de Souza Silva, de 23 anos. Eles morreram no local.Após os tiros, foram presos Ricardo Souza da Cruz, de 22 anos, e Marcelo Silva Camilo, de 30. Segundo a polícia, Cruz estava em um posto de gasolina do bairro. Ele seria o responsável por dar cobertura ao bando e se comunicava com os comparsas por rádio. Na casa dele, investigadores acharam uma carga de remédios roubada.A prisão foi feita numa parceria entre a Polícia Militar (PM) e o Denarc. Segundo o diretor do departamento, a polícia sabia que na manhã de ontem haveria um assalto na Rua David Pimentel. A partir da informação, obtida por escuta telefônica, homens do Denarc fizeram, com a PM, campana na rua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.