200 policiais sobem Morro do Turano e prendem só 3

Polícia não cumpriu nenhum mandado de busca, mas garante que não houve vazamento de informação

Pedro Dantas, O Estadao de S.Paulo

11 de dezembro de 2007 | 00h00

A Polícia Civil do Rio realizou ontem mais uma megaoperação ao ocupar o Morro do Turano, na Tijuca, zona norte, com 200 homens. Na incursão, a polícia conseguiu cumprir apenas 3 dos 10 mandados de prisão expedidos pela Justiça e nenhum dos 30 mandados de busca e apreensão. A exemplo do que ocorreu nas últimas operações que adotaram a mesma tática, não houve trocas de tiros.O delegado do Departamento de Polícia da capital, Sérgio Caldas, afirmou que o confronto armado não é característica do Morro do Turano. "Segundo informações da comunidade, os procurados fugiram para a mata", disse o delegado. Além disso, não houve vazamento de informações sobre a incursão, como ocorreu na semana passada no Complexo do Alemão, na zona norte, e em agosto na Rocinha, na zona sul. Resultado de seis meses de investigação, a operação foi realizada para prender traficantes que estão "diversificando as atividades" e partem para o roubo de carros, assaltos a lojas e a transeuntes. Uma das vítimas dos bandidos teria sido o cabo do Batalhão de Operações Especiais (Bope) Claudio Adonai Cavalcanti Xavier, morto na Tijuca por dois assaltantes do Turano, no dia 20."A ação da polícia e a entrada das drogas sintéticas diminuíram a venda de drogas tradicionais", afirmou Caldas, para explicar por que os traficantes passaram a praticar assaltos. Mas alguns moradores afirmaram que a venda de drogas continua, muitas vezes nas ruas de acesso ao complexo. Formado por oito favelas, o Turano fica nos fundos do campus da Universidade Estácio de Sá, onde a estudante Luciana Gonçalves foi baleada em maio de 2003 - a jovem ficou tetraplégica.Durante a operação, foram presos Daniele da Silva dos Santos, de 19 anos, acusada de participação num assalto a uma filial das Lojas Americanas este ano, Silvio Gomes Silva, de 35, e Douglas Heleotério, de 18, ambos acusados de tráfico. Pedro José Machado da Silva, de 18, foi levado à 6ª Delegacia, da Cidade Nova, para averiguação. Foram apreendidos um revólver, pequena quantidade de cocaína e um celular.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.