22 vítimas de desabamento em Guarulhos continuam internadas

Das 126 pessoas que ficaram feridas no desabamento do mezanino de um galpão onde acontecia um show em Guarulhos, durante a madrugada de domingo, 22 continuam internadas em seis hospitais da cidade e da capital paulista. Um homem de 26 anos que participava do evento passou por cirurgia em São Paulo e está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Uma adolescente de 14 anos teve uma das pernas amputada. Dois dos seis jovens que morreram após o acidente foram enterrados ontem. Nesta segunda-feira, os outros quatro devem ser sepultados em Guarulhos. Eles foram identificados como Luana Cristina Silva Peres, de 23 anos; Valmir Teles da Silva Araújo, de 19; Natália Mendes Fortuna, de 21; Carlos Ailton Belusci da Conceição, de 25; e Daniele Rodrigues Pereira, de 14. Cintya de Almeida Santos, de 19 anos, morreu no Hospital Padre Bento. O laudo sobre as causas do desabamento deverá ficar pronto em 30 dias. De acordo com testemunhas, o mezanino não suportou o excesso de peso. A casa estava lotada, pois centenas de bilhetes para entrada no evento teriam sido distribuídos entre os jovens. A entrada principal do prédio estava localizada ao lado de uma casa onde funciona o escritório político do presidente da Câmara de Vereadores e candidato à prefeitura local, Sebastião Bispo. No entanto, ele negou categoricamente qualquer envolvimento na organização do evento. A polícia tenta agora localizar o proprietário do galpão e os responsáveis pela festa. Eles devem ser indiciados por lesões e homicídio culposo (não houve intenção de matar). O secretário de governo da Prefeitura de Guarulhos, Moacir de Souza, reafirmou que o evento era clandestino e que não houve tempo para fiscalizar o local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.