3 mil toneladas de entulho clandestino são jogadas por dia nas ruas de SP

Número é maior que a quantidade despejada por empresas regulares nos quatro aterros da Prefeitura

Marici Capitelli, O Estadao de S.Paulo

02 Fevereiro 2009 | 00h00

Empresas de caçambas clandestinas jogaram no ano passado 3 mil toneladas de entulho por dia nas ruas de São Paulo. De acordo com dados do Departamento de Limpeza Pública (Limpurb), são 400 toneladas a mais do que as recolhidas pelas empresas regulares (2.600 toneladas) e despejadas em quatro aterros da Prefeitura. Além dos caçambeiros irregulares, diz a Prefeitura, também são responsáveis por parte do lixo os moradores que fazem o descarte em locais inadequados e carroceiros, que recebem de proprietários de imóveis para recolher lixo, mas o abandonam nas vias. Segundo o Sindicato das Empresas Removedoras de Entulho do Estado de São Paulo (Sieresp), existem em torno de 300 empresas de caçamba irregulares na capital. Os ilegais, em regiões como no Ipiranga, zona sul, contam com o apoio de motoqueiros, que percorrem na madrugada alguns pontos para ver se não há fiscalização. Eles costumam furtar caçambas das empresas legalizadas. No ano passado, foram cerca de cem furtos. Segundo a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, há 1.400 pontos de descarte irregular na cidade. Nem áreas nobres, como a Avenida Pacaembu, na zona oeste, escapam. "O dia inteiro param caminhões, carroceiros e gente com carrão para jogar entulho. É uma falta de educação generalizada", reclama a empresária Graciete Oliveira. O entulho na frente do estabelecimento faz com que ela visite clientes. "Tenho vergonha de falar para virem aqui e se depararem com tanta sujeira." Na região da Subprefeitura do Ipiranga, o volume de entulho é o maior problema. São cerca de 90 pontos de descarte. Em 2008, foram recolhidas 31.500 toneladas. Para o subprefeito Alexandre Aniz, a causa desse volume é a localização. "Não recebemos só os clandestinos de São Paulo, mas do ABC,que faz limite com a região." TIRO Alguns pontos estão perto da Avenida do Estado e da Via Anchieta. No dia 26, a reportagem flagrou um carroceiro jogando pneus velhos na Avenida Francisco Mesquita, na região do Ipiranga, mas ontem a via estava limpa. Outros pontos são em áreas com galpões abandonados. A Subprefeitura criou a operação Caça Entulho, nas madrugadas. Em uma fiscalização, um clandestino atirou contra policiais militares. Na zona leste, a Subprefeitura de São Mateus calcula que existam 30 pontos de descarte irregular. Para João Pequeno, chefe da Unidade Técnica de São Mateus, o problema é de educação. "As pessoas jogam o entulho e não se preocupam com as consequências." A Subprefeitura retira lixo irregular duas vezes por mês - são 54 viagens, com 20 toneladas cada. Em Pinheiros, zona oeste, havia até o ano passado 70 pontos irregulares. Para driblar os mal-educados, a Subprefeitura criou os canteiros verdes, com plantio de grama. Em M?Boi Mirim, zona sul, foi adotada estratégia semelhante - a Subprefeitura construiu uma praça embaixo da Ponte João Dias, um antigo ponto de descarte. SERVIÇO COMO IDENTIFICAR: As caçambas regulares são sempre brancas, possuem faixas reflexivas, trazem o nome e o telefone da empresa, além do telefone 156 e o site da Limpurb. PARA DENUNCIAR: Para informar sobre caçambas irregulares, ligue para o número 156 ou para os telefones do Alô Limpeza: (11) 3328-2851 ou (11) 3328-2836. DENTRO DA LEI: Para contratar uma empresa cadastrada, acesse o site www.limpurb.sp.gov.br ou fale com o sindicato, no telefone (11) 3120-5668.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.