Cleiton Thiele / SerraPress
Cleiton Thiele / SerraPress

Gramado deve receber 300 mil turistas no feriado da Páscoa após 2 anos de restrições da pandemia

Após dois anos nos quais eventos da Semana Santa foram cancelados por causa da covid-19, cidade da serra gaúcha espera retomada do turismo

Luciano Nagel, especial para o Estadão

12 de abril de 2022 | 05h00

Os atrativos da Páscoa em Gramado, na serra gaúcha, devem atrair um público de aproximadamente 300 mil visitantes após a flexibilização das normas sanitárias referentes à pandemia do coronavírus. A estimativa é da Associação da Indústria e Comércio de Chocolates Caseiros de Gramado (Achoco). 

"O setor chocolateiro está otimista com a retomada do evento e o crescimento nas vendas deve atingir 20% em comparação com 2019. Infelizmente, viemos de duas Páscoas canceladas: a de 2020, quando houve perda de cerca de 90% da produção devido à pandemia; e a de 2021, com a segunda onda, em que o setor teve perdas em 70%. Foram dois anos muito difíceis, exigindo diversas adaptações", lembrou o diretor executivo da Achoco, João Teixeira. Com 28 fábricas artesanais, Gramado deve produzir 600 toneladas de chocolate este ano. 

O microempresário gaúcho Fabiano Contini, 45 anos, trabalha com produção de chocolates em Gramado e revelou que no início da crise do coronavírus, em 2020, chegou a ter perdas de 50% na confecção dos doces. Já em 2021, os prejuízos foram menores (20%), graças à divulgação e à venda de seus produtos por meio das redes sociais, disse o proprietário da fábrica de chocolates Chococia.   

O empresário Ezequiel Dias de Lima, de 43 anos, afirma estar otimista em relação às vendas para este ano. "Em 2020, tivemos a pandemia que acabou atingindo nossos clientes. Cerca de 90% das nossas vendas foram canceladas nas semanas anteriores à Páscoa, mas agora estamos vendendo bem. Voltamos com o atendimento nas grandes empresas, no varejo e nas redes de supermercado. Tivemos aumento de 40% nos negocios", ressalta Lima. A Páscoa é considerada a segunda data mais importante para o turismo na serra gaúcha, ficando atrás somente  do Natal.

Outras regiões do País também esperam aumento no número de turistas durante o feriado da Semana Santa em meio à queda de casos e mortes por covid-19. As seis cidades históricas de Minas Gerais que mantêm a tradição – Ouro Preto, Mariana, Congonhas, São João del Rei, Tiradentes e Sabará – devem receber, juntas, cerca de 150 mil visitantes. Em Pirapora do Bom Jesus, na região metropolitana de São Paulo, a prefeitura prevê a chegada de ao menos 50 mil peregrinos.

Tudo o que sabemos sobre:
PáscoaGramado [RS]turismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.