36 menores são transferidos após rebelião em Brasília

Trinta e seis menores infratores do Centro de Atendimento Juvenil Especializado (Caje) de Brasília foram transferidos nesta sexta-feira à tarde após o fim da rebelião que fez quatro monitores como reféns. No protesto, eles queimaram colchões, depredaram as instalações e apresentaram 10 reivindicações. Homens do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar precisaram intervir. Os reféns foram libertados. Não houve registro de feridos graves. O Caje, com capacidade para 120 menores, abrigava hoje 400. Os menores foram transferidos para a Coordenação de Polícia Especial. Outros adolescentes devem ser transferidos neste sábado.A promotora da Vara da Infância e Adolescência do Distrito Federal, Selma Sauerbrom de Souza, informou que a maioria das reivindicações será atendida e as transferências são indispensáveis, pois o local foi praticamente destruído. "Eram pedidos simples, como a garantia de um local para receber visitas de parentes, melhora na qualidade da alimentação e permissão para a instalação de televisores nas dependências da unidade", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.