400 bairros do País duplicam população em uma década

Casos vão desde localidades que praticamente não possuíam moradores e tiveram uma explosão demográfica até bairros já populosos que aumentaram ainda mais

Luciana Nunes Leal, Felipe Werneck e Daniel Lima, estadão.com.br

01 de julho de 2011 | 10h00

RIO - Quase 400 bairros do País mais que duplicaram a população nos últimos dez anos. Os casos vão desde localidades que praticamente não possuíam moradores e tiveram uma explosão demográfica até bairros já populosos que aumentaram ainda mais o número de habitantes. Dados do Censo 2010 foram divulgados hoje pelo IBGE e trazem informações sobre pouco mais de 14 mil bairros brasileiros dos municípios que têm esse tipo de divisão territorial. A cidade de São Paulo, por ser dividida apenas em distritos, não faz parte do levantamento. Entre as capitais, Brasília e Salvador não são divididas oficialmente por bairros, mas por subdistritos.

 

Entre os bairros com grande crescimento populacional na década, muitos ficam próximos a indústrias. É o caso da localidade que teve maior crescimento proporcional entre todos os bairros do País, chamada Industrial Miguel de Luca, em Varginha (MG). O bairro passou de apenas sete moradores para 2.147. Na mesma cidade, a localidade Industrial JK aumentou de 28 para 1.049 habitantes.

 

Entre os bairros que já eram populosos, Lagomar, em Macaé (RJ), passou de 3.874 moradores para 20.804, um aumento de 437%. Nas capitais, houve aumento significativo em bairros de João Pessoa (PB), como Mumbaba, de 463 para 7926 moradores (aumento de 1.611,8%) e Costa do Sol, que teve crescimento populacional de 1.269%, de 609 para 8.341 habitantes.

 

No Estado de São Paulo, os casos de maior crescimento são: Saltinho, em Paulínia, de 65 para 2.069 habitantes (3.083%), Piagui, em Guaratinguetá, de 45 para 1.279 moradores (2.742%) e Setor Industrial, em Jundiaí, de 205 para 3.621 habitantes (1.666%)

Mais conteúdo sobre:
Censo 2010IBGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.