441 pessoas foram detidas durante a votação

A eleição, em segundo turno, transcorreu na mais perfeita normalidade, concluiu em sua entrevista televisionada o presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), ministro Marco Aurélio Mendes de Farias Mello. Um dos dados que comprovam essa afirmação foi o número de pessoas detidas neste domingo em todo o País por serem flagradas fazendo boca de urna e cometendo outras irregularidades: 441. No primeiro turno, os detidos foram 932.O Estado em que ocorreu maior número de detenções - 87 - foi o Paraná. O Pará ficou em segundo lugar, com 58. Tanto o Rio Grande do Norte quanto o Espírito Santo tiveram 44 detidos cada. E 42 foram os detidos tanto na Paraíba quanto em Pernambuco. Nenhum candidato foi relacionado diretamente com o fato que levou à punição. Todos os detidos eram militantes e podem ter sido instruídos a afirmar que era uma iniciativa pessoal. Dos detidos, 170 foram considerados "boqueiros" (fazendo propaganda de boca de urna). Outros 61 foram apanhando quando faziam transporte ilegal de eleitores, o que favoreceria algum dos candidatos. Houve também 23 que estariam fazendo divulgação irregular de propaganda, nove que, apesar da proibição, ainda estavam realizando carreatas ou faziam uso de carros com alto-falantes. Sete outros foram flagrados comprando votos e os 171 restantes cometeram outros tipos de delitos ou contravenções não declaradas prelo TSE.

Agencia Estado,

29 de outubro de 2006 | 23h57

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõeseleições 2006

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.