500 marquises de prédios do Rio apresentam problemas

Pelo menos 500 marquises de prédios do Rio apresentam problemas de estrutura, verificados pela Defesa Civil do município, afirmou nesta terça-feira, 27, o presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (Crea-RJ), Reynaldo Barros. Os problemas podem causar desabamentos como o do Hotel Canadá, que matou duas pessoas na segunda-feira, em Copacabana, zona sul. Desde o ano passado, Barros ofereceu à Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio fiscais do Crea-RJ para ajudarem na fiscalização de marquises e de fachadas na cidade. O convite foi refeito na segunda, mas até o início da noite desta terça o presidente da entidade não teve resposta da prefeitura. O presidente do Crea-RJ, no entanto, não acredita que o principal problema seja a fiscalização. "O procedimento para obrigar o reparo é que tem de ser intensificado", disse Barros. Para ele, a prefeitura deve atuar em conjunto com o Ministério Público para que os proprietário de prédios sejam obrigados a fazer as obras imediatamente, sob pena de os imóveis serem interditados. A causa do acidente no Hotel Canadá, de acordo com Barros, está clara. Por causa da ferrugem, os vergalhões que sustentavam a marquise teriam perdido 80% de seu diâmetro. Em 1995, disse ele, uma obra foi feita na estrutura de forma equivocada. Outra causa foi o sobrepeso. Os donos do hotel e os responsáveis pelas obras serão ouvidos pelo Crea-RJ em um processo disciplinar.

Agencia Estado,

27 Fevereiro 2007 | 20h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.