Divulgação
Divulgação

7 líderes do PCC são transferidos de RR para presídio federal no RN

Integrantes da facção teriam ordenado as mortes de rivais do CV; também foram levados para a penitenciária de Mossoró presos na Operação Cartas Marcadas

Cyneida Correia, Especial para o Estado

27 Outubro 2016 | 15h01

BOA VISTA - Por decisão da Justiça Federal, sete detentos considerados líderes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) em Roraima e quatro presos na Operação Cartas Marcadas, que investigava desvio de verba pública por meio de licitação fraudulenta, embarcaram nesta quinta-feira, 27, o Presídio Federal de Mossoró no Rio Grande do Norte.

A transferência para um presídio federal foi solicitada à Justiça pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado de Roraima (MP-RR). Eles devem ficar 365 dias no presídio, prazo que pode ser renovável pelo mesmo período.

Os integrantes da facção criminosa teriam sido identificados como ordenadores das mortes dos presos da facção Comando Vermelho na  Penitenciária Agrícola do Monte Cristo (Pamc) no último dia 16 de setembro. Na ocasião, dez presos foram assassinados, tiveram os corpos queimados e três tiveram as cabeças degoladas.

Mais conteúdo sobre:
BOA VISTA Roraima Justiça Crime Organizado

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.