A ação dos brasileiros no narcotráfico

Considerado mero corredor de passagem da cocaína produzida na Colômbia e na Bolívia nos anos 80, o Brasil passou a ter um papel ativo no mapa do narcotráfico internacional atual. A partir do fim dos anos 90, com o desarticulação dos cartéis de Medellín e Cali, traficantes brasileiros passaram a atuar diretamente no refino e no transporte da droga para a Europa e os Estados Unidos, com o apoio das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (Farc). Informações do Exército colombiano e da Polícia Federal brasileira mostram que Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, que está refugiado na Colômbia desde o ano passado, não é o único a manter uma rede de negócios ilícitos no país. "Os grandes chefes do tráfico brasileiro estão aqui", afirma o coronel Alberto Ruiz, do Departamento de Inteligência Judicial (Dijin), da Polícia Nacional colombiana. Entre eles está o empresário goiano Leonardo Dias Mendonça, investigado pela CPI do Narcotráfico, que responde a processo por tráfico internacional de drogas no Pará. Junto com o ditador do Suriname, Dersi Boutersi, Mendonça é acusado pela PF de ser um dos líderes do Suricartel, um cartel de armas e drogas com conexões entre Brasil, Colômbia, Guiana e Suriname. Um relatório assinado pelo superintendente da PF do Amazonas, delegado Mauro Spósito, e enviado no dia 20 de fevereiro ao diretor de Narcóticos da Polícia Nacional colombiana, general Gustavo Rocha Salamanca, confirma que Mendonça vem agindo no país desde 1998. "Com o apoio da polícia holandesa, foram obtidas informações de que Leonardo Dias Mendonça realizava o transporte de armas para as Farc, as quais vinham do Suriname, recebendo como pagamento cocaína", afirma Spósito no relatório, ao qual o jornal O Estado de S.Paulo teve acesso.Mais informaçõesLeia Também:Operação colombiana desvenda estrutura do bando de Beira-Mar Colômbia movimenta US$ 1,5 bilhão por ano Chefe das Farc admite negócios com Beira-Mar Traficante desarticula força-tarefa Lista de crimes inclui homicídio e tortura O TRÁFICO DE BEIRA-MAR

Agencia Estado,

02 de abril de 2001 | 03h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.