A família real do pop

Tutty Vasques escreve todos os dias no portal Estadao.com.br, de terça a sábado neste caderno e aos domingos no caderno Aliás

Tutty Vasques, O Estadao de S.Paulo

01 Julho 2009 | 00h00

Já está quase tudo pronto para o grande quebra-pau na família Jackson. Falta ainda definir se será antes ou depois dos funerais, pois é claro que ninguém vai atirar a primeira pedra enquanto não aparecer o tal testamento aventado pelo Wall Street Journal. Por outro lado, convém esperar, também, por uma necessária auditoria que defina se, no final das contas, o cantor devia mais do que tinha - ou vice-versa. Tudo deverá estar mais claro quando chegar a conta da segunda autópsia e aí, talvez, comecem os desentendimentos no clã. Digamos que, por enquanto, a família real do pop está só se pintando para a guerra. O pai, já praticamente pronto para o confronto, adotou um visual Moreira da Silva de luto. Joe Jackson tem dado entrevistas numa alegria constrangedora. "Eu só choro por dentro" - ah, bom! É durão assim desde o tempo em que espancava o Jackson Five em casa para que os meninos fossem na vida algo mais que os dois filhos de Francisco. Michael disse certa vez no programa Oprah Winfrey que muitas vezes vomitava só de ver seu pai. Na época parecia exagero! MUY AMIGOS Uma semana depois de temer pela vida de seu melhor amigo no Irã, Paulo Coelho deve ter sentido novo aperto no peito: seu melhor amigo em Honduras está, decerto, em apuros. FIM DO MUNDO "Que seja infinito enquanto Honduras" Vinícius de Moraes, poeta A derrota do Twitter O senador José Agripino Maia pediu o afastamento de José Sarney pelo Twitter. Por essas e por outras é que muita gente ainda resiste à rede social de mensagens. Esculhambação Já está chegando ao comércio de rua em todo mundo a cópia pirata do CD com baladas russas interpretadas pelo ex-líder soviético Mikhail Gorbachev. O exemplar único da gravação original rendeu na semana passada US$ 165 mil em leilão beneficente. Nas calçadas, vai custar o equivalente a US$ 3, e é capaz de encalhar. Do clã dos Adrianos José Adriano Sarney, o neto mais famoso do Brasil, era conhecido na escola como Zé Imperador. De mal a pior Do jeito que vão as coisas na Argentina, especialmente na área de saúde, o jogo da Seleção Brasileira em Buenos Aires pelas Eliminatórias, marcado para 5 de setembro, tem tudo para ser adiado por causa da gripe suína. Conversa de surdos Recém-chegado ao Usbequistão, Felipão tem falado cobras e lagartos desse time do Dunga. Pior é que, como ninguém ainda entende o que o técnico diz, todo mundo concorda com ele. Perdas irreparáveis Entreouvido numa rodinha de bailarinos ainda chocados com o noticiário dos últimos dias: "Michel Jackson, Pina Bausch, está todo mundo dançando!"

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.