''A grande confusão foi ter a criação do novo partido, o PSD, neste momento''

Julio Semeghini, presidente do PSDB em São Paulo

, O Estado de S.Paulo

25 Abril 2011 | 00h00

O novo presidente do PSDB paulista, Julio Semeghini, afirma que o clima no partido ainda está contaminado pela eleição municipal de 2008.

Por que o PSDB não conseguiu fechar um acordo com os vereadores e evitar o racha?

Até o dia da eleição, os vereadores estavam pleiteando a presidência. E a presidência é difícil de compor. A grande maioria teria de abrir mão. Houve um avanço significativo quando a gente juntou todos os candidatos numa única grande chapa. Mas o diretório municipal tem um força muito grande da base do partido. Então não há quem possa ter ingerência. Não tinha como os vereadores terem a presidência do partido.

Mas ele pediram a secretaria-geral e integrantes do PSDB não deixaram fechar o acordo?

Sempre houve o diálogo, e o acordo chegou a praticamente ser fechado. A grande confusão foi ter a criação do novo partido, do PSD, neste momento. Misturou o acordo do diretório municipal com projetos pessoais de algumas pessoas.

O clima no PSDB está contaminado pela eleição de 2008?

Está. Na verdade, 2008 é quando foi a crise. Agora é um final de um processo que começou em 2008 e que magoou muita gente. De lá para cá, todo mundo tem trabalhado para construir, para juntar e unificar.

Para alguns tucanos, Alckmin queria defenestrar os vereadores que não o apoiaram em 2008.

O governador tem respeitado bastante o ponto de vista da militância. Mas vou deixar bem claro: eu quase desisti da minha candidatura de tanto que o governador cobrava para que fosse construído o acordo. E ele se dedicou pessoalmente.

O PSDB vai mesmo insistir em pedir o mandato dos que saírem?

Grande parte dos vereadores que querem sair tem de 20 mil a 40 mil votos. Esses vereadores têm muito mérito deles, mas se elegeram com a força do número 45. Então não é justo que essas pessoas saiam do partido e levem consigo o seu mandato.

Os vereadores que ficarem farão parte da nova Executiva?Quem ficar vai indicar o secretário-geral. Esse diretório que está sendo composto vai preparar o partido para uma grande novidade no próximo ano que são as prévias. O PSDB sempre fugiu das prévias. Acha que é um racha no partido, e isso não é verdade. Outros partidos se fortalecem porque tem prévias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.