A incrível história do prefeito petista que sumiu num hotel

O prefeito de Ipatinga, no Vale do Aço mineiro, Chico Ferramenta, de 41 anos, desaparecido desde segunda-feira, foi localizado ontem. O sumiço mobilizou um grande aparato policial e político, que incluiu a participação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No fim da tarde, porém, o prefeito ligou para parentes, disse que passava bem e estava num hotel no centro de Belo Horizonte. Até a noite de ontem, os motivos que levaram ao desaparecimento não estavam esclarecidos. Alegando estar muito abalado, o prefeito não deu entrevistas. Foi levado para descansar em um local não divulgado. Mas a direção do PT deverá cobrar explicações. Por causa do assassinato dos prefeitos petistas de Santo André, Celso Daniel, e de Campinas, Toninho do PT, em 2001, o sumiço de Ferramenta causou apreensão. Na manhã de ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ligou para a mulher do prefeito, deputada estadual Cecília Ferramenta (PT). Ele determinou que o Ministério da Justiça acompanhasse de perto o caso e a Polícia Federal participasse das investigações. O governador Aécio Neves também tomou providências. Uma força-tarefa envolvendo polícia, o Ministério Público Estadual e deputados estaduais do PT foi anunciada. Ferramenta deixou o apartamento, comprado recentemente no bairro Santo Agostinho, zona sul da capital, às 11h30 de segunda-feira. Disse que ia "dar uma volta" e não levou documentos nem celular. O chefe do Departamento de Operações Especiais da Polícia Civil, delegado Elson Matos, disse que ele portava R$ 1.500. Mais tarde, foi visto num restaurante do bairro. Segundo o proprietário, Ferramenta ficou lá das 15h30 às 17 horas e estava sozinho. Tomou uma garrafa e uma lata de cerveja. Aparentava "sonolência" e tinha aspecto "depressivo". O prefeito chegou à capital mineira na sexta-feira. No sábado, foi à posse da mulher. No mesmo dia, voltariam para Ipatinga. Com a falta de notícias, parentes acionaram a polícia. No terceiro mandato como prefeito de Ipatinga, Ferramenta é considerado um dos principais líderes do PT no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.