A Índia é aqui

Cada vez mais pessoas se entregam a retiros para ?restaurar a mente?

Adriana Carranca, O Estadao de S.Paulo

21 de março de 2009 | 00h00

Iiiiiiiiiinspira... Eeeeeeeexpira... A voz chega assim, baixinha, quase um sussurro, no mesmo tom suave e ligeiramente rouco que ecoa anunciando voos nos aeroportos brasileiros. Olhos fechados, coluna ereta, mãos soltas sobre as coxas, polegar e indicador unidos, mais de 300 paulistanos se entregaram aos comandos de um discípulo do indiano Sri Sri Ravi Shankar, na semana passada, no Parque do Ibirapuera."Tome consciêêência do seu coooorpo... do pensameeeeeento...", continua o missionário, tentando fazer sumir o buzinaço das Avenidas República do Líbano e 23 de Maio, levando cada um para dentro de si mesmo. Segue-se um longo silêncio, ao que praticantes, a maioria de primeira viagem, abriam o cantinho de um dos olhos, tentando espiar o vizinho ao lado, temendo não estar na pose certa. E inspira, expiiiiiiiiiira...Mestres indianos de nomes complicados e técnicas milenares tão simples quanto a respiração têm atraído cada vez mais seguidores em busca de um momento de paz em meio à louca vida nas metrópoles brasileiras. Em Salvador, quase 200 pessoas vão passar a Páscoa meditando por quatro dias seguidos, das 7 às 22 horas, sem dizer uma palavra - qualquer comunicação é proibida, até o olhar. No Rio, outros tantos garantiram lugar no retiro para o feriado de Tiradentes, em abril. Em junho, será em São Paulo.A instituição que organizou os retiros, assim como o evento no Parque do Ibirapuera, é uma filial oficial da Fundação Arte de Viver, criada em 1982 pelo mestre Sri Sri Ravi Shankar, para difundir a sudarshan kriya,técnica de respiração que promete restaurar a calma e a saúde física e mental, ensinada em 140 países. Nascido em Papanasam, no sul da Índia, Kriya foi indicado ao Nobel da Paz. A média de participantes no curso básico, requisito para os retiros e aulas de nível avançado, ministrados na Vila Madalena, zona oeste, passou de 20, em 2008, para 70 neste ano. A procura aumentou com o início da novela Caminho das Índias, da TV Globo - a atriz Juliana Paes fez o curso de sudarshan kriya, no Rio, para viver a personagem principal. Os cursos são pagos: R$ 400 o básico, na Vila Madalena, onde, às segundas-feiras, há sessão de meditação gratuita. A técnica também foi levada para catadores de lixo e para carcereiras e presas da Penitenciária Feminina da capital. "No início, as guardas não conseguiam fechar os olhos porque são treinadas para estar alerta", diz Cristina Arnelin, ex-empresária, de 49 anos, que se dedica a difundir a técnica de respiração no Brasil. Ela acaba de voltar de Bangalore, na Índia, onde passou dois meses em um ashram (retiro).Isolado na montanha, a 15 km do centro de Campos do Jordão, o Krishna Shakti Ashram é um autêntico retiro indiano e monastério (leia abaixo). E onde gente como Eduardo Moscovis, Cássia Kiss e Eliana buscam paz. Na capital, o restaurante Casa Prema, de culinária lacto-vegetariana, segue a mesma linha e promove palestras. E, ainda pouco conhecida, a dança clássica já atrai paulistanos para a filial brasileira da escola indiana Natyalaya, no centro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.