A intolerância é uma...

É uma pena que a incrível história do sargento cover da Cássia Eller seja fruto de manchete da editoria de preconceitos, onde a gravidade dos fatos transforma qualquer notícia curiosa em denúncia lamentável. Não fosse a intolerância militar com a homossexualidade do rapaz, o assunto poderia render primeira página em qualquer caderno de cultura da grande imprensa brasileira. Cássia Eller ia adorar a história. Imagina se chega lá no céu uma reportagem sobre o sargento do Exército Laci Marinho de Araújo, crooner da banda Terceira Visão com o nome artístico Éron Anderson, atração do circuito de barzinhos em Brasília com o show Eu Queria Ser a Cássia Eller. Dá até para imaginar a cantora rolando nas nuvens de tanto rir. Estaríamos todos agora nos divertindo com a possibilidade artística de Cássia Eller reencarnar sargento, não estivesse ele, por essas e por outras, preso. Como não há piada que sobreviva ao preconceito, eu apenas sinto muito. E não se fala mais nisso! O NÚMERO 1Perto do nariz do piloto polonês Robert Kubica, o de Luciano Huck é pinto. Não à toa, o apresentador não perde mais uma corrida de Fórmula 1 na tevê. Domingo passado, esperou o momento do pódio para comentar com Angélica: "Que napa tem esse cara, né, não?".ESCOLHA DE SOFIAResponda rápido: Yeda Crusius ou Dilma Rousseff, quem você salvaria do fogo eterno do noticiário?Corrente pra frenteA torcida do Corinthians já treina nos engarrafamentos de São Paulo: "Não pára, não pára, não pára...!". O super bacana Mangabeira Unger anda visivelmente chateado. Também, pudera! Barack Obama assumiu seu lugar no discurso de Caetano Veloso. O candidato democrata é o novo gringo de estimação do artista baiano.AutocontroleLillian Witte Fibe estava que era só sorrisos após sua estréia no comando do Roda-Viva da TV Cultura. Segurou até o fim do programa a vontade de rir do figurino de seu primeiro entrevistado, o ministro Carlos Minc. Jogo duroCom praticamente todos Ciretrans sob a mira da Operação Carta Branca, ficou praticamente impossível para um cego tirar carteira de habilitação no Estado de São Paulo. A que ponto chegamos, né, não?Sucessor naturalO compositor e vocalista Charly García virou uma espécie de Maradona do rock argentino. Volta e meia, quebra um quarto de hotel, uma porta de boate, a cara de alguém...Bola nas costasPor conta da Eurocopa, o que tinha de holandeses e italianos em Berna, na Suíça, em plena segunda-feira, francamente! Depois reclamam que os imigrantes do Leste estão tomando o mercado de trabalho deles.

O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.