A missão de abrir o desfile de carnaval em SP

Termina a queima de fogos. Começa o carnaval no sambódromo do Anhembi. Nessa hora, três jovens amigos vão ter dificuldade para controlar o frio na barriga. Eles estarão na frente da Unidos do Peruche, primeira a se apresentar no desfile de sexta-feira, dia 20. "Será muita emoção. Vamos abrir a avenida como a cara da escola", diz Fernando Camargo, de 19 anos, um dos 12 apóstolos de São Paulo a participar da coreografia criada por Paulinho Garrido para a comissão de frente. "Sem falar da responsabilidade", completa João Vinicius Camargo, de 21. Os dois já desfilaram antes, mas em alas. "Era só diversão. Agora vamos carregar a escola." Seu amigo Luiz Fernando Santos, de 22, também já sente o "peso". "Tudo depende da gente." A missão dos três está prevista para começar às 22h30, com público de cerca de 21 mil pessoas. Entre os espectadores, estarão parentes dos jovens. "Querem saber se vamos lidar bem com a responsabilidade. Dizem que estamos sempre brincando", explica Fernando. Para quem ri o tempo todo, como eles, ficar sério é tarefa tão complicada como aprender a sincronizar os movimentos da comissão de frente, um dos dez quesitos a serem avaliados pelos 40 jurados. A Liga Independente das Escolas de Samba também selecionou dez reservas, para o caso de os titulares não poderem comparecer na sexta-feira ou no sábado. O trabalho do júri começou este fim de semana, em um curso de preparação para o desfile. A tarefa de hoje é ouvir dos presidentes das 16 escolas do Grupo Especial a melhor forma de avaliar cada quesito. O regulamento sofreu modificações. A comissão de frente, onde estarão os jovens, este ano é um terreno livre para a criatividade. "Nada de usar fraque e caminhar da maneira tradicional", explica o diretor-geral de Carnaval da Liga, Lourival de Almeida Campos. "Uma escola terá pessoas em tripés e outras vão incluir alegorias." Fernando, Luiz Fernando e João Vinicius, por exemplo, levarão espada e Bíblia e usarão costeiro que imita vitral, para dar idéia de que estão em uma igreja. Outra mudança para este ano foi no tamanho das alegorias. Os carros, que antes ficavam com no máximo 18 metros de comprimento, agora podem ter qualquer dimensão. "Mas sempre é um risco fazer carros grandes. A escola precisa estar tecnicamente preparada para que não haja problemas", diz Campos. Também não tem número mínimo e máximo de alegorias, mas é preciso que as agremiações passem com todos os carros que estiverem na concentração. E baixou de 2 mil para 1.500 a quantidade mínima de componentes. Apesar de o tema das escolas ser o mesmo, os 450 anos de São Paulo, o público não deve esperar monotonia, graças à inventividade dos carnavalescos. Algumas agremiações vão falar de seus bairros, como a Imperador do Ipiranga e a Acadêmicos do Tatuapé. Já a Águia de Ouro quer "pegar os jurados pelo estômago", segundo o carnavalesco Tito Arantes Filho. E quem vai contar essa história da gastronomia é Ana Maria Braga. A Liga também fará inovações no som e na iluminação do sambódromo. Segundo o diretor Lourival Campos, a luz branca será substituída por spots coloridos, acompanhando as cores das escolas. Já as caixas de som, importadas, foram feitas especialmente para a acústica do Anhembi. O lanche para manter o ânimo dos foliões está garantido. Cada setor temum bar, além de tenda para venda de churrasco e carrinho de sorvete. O Anhembi também definiu o serviço médico. Serão 15 ambulâncias e 2 postos, nos setores 3 e 4. O total de pessoas no policiamento do sambódromo e o esquema de trânsito na região, porém, só devem ser conhecidos amanhã. LugaresQuem quiser acompanhar os desfiles de sexta-feira e sábado deve correr para garantir o ingresso. A partir de amanhã, lugares em mesas, cadeiras e camarotes só serão vendidos pelo site www.carnavalsp.com.br ou pelo telefone (0xx11) 3832-9006. Já os bilhetes para arquibancadas estarão disponíveis no Pavilhão de Exposições. Na sexta, desfilarão Unidos do Peruche, Acadêmicos do Tatuapé, Camisa Verde e Branco, Águia de Ouro, Gaviões da Fiel, Unidos de Vila Maria, X-9 Paulistana e Acadêmicos do Tucuruvi. No segundo dia, será a vez de Barroca Zona Sul, Imperador do Ipiranga, Rosas de Ouro, Vai-Vai, Leandro de Itaquera, Império de Casa Verde, Mocidade Alegre e Nenê de Vila Matilde. A festa começa com a Peruche.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.