A missão de acertar mais de 200 relógios

Trabalhadores vão virar a noite para atrasar ponteiros em locais públicos

Felipe Grandin e Rodrigo Brancatelli, O Estadao de S.Paulo

16 de fevereiro de 2008 | 00h00

Enquanto a maioria das pessoas gastará apenas alguns segundos hoje para adequar o relógio ao fim do horário de verão, gente como Gianni Cozella, de 72 anos, terá bastante trabalho pela frente. O relojoeiro tem mais de 200 relógios de todos os tipos e tamanhos em sua oficina em Pinheiros, na zona oeste. E garante que todos estarão ajustados na manhã de segunda-feira."Pode ter certeza de que, quando eu abrir a loja, vão estar todos certinhos", garante.Ele terá o apoio do assistente Jorge Liebort, que há 45 anos ajuda Cozella. O trabalho é repetido duas vezes por ano, desde 1985, quando o horário de verão passou a ser adotado regularmente no Brasil.O fim do horário de verão também significa muito trabalho para os técnicos da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). São 510 relógios espalhados por 250 quilômetros de linhas de trem. Todos precisam ser acertados até a abertura das estações no domingo. A operação começa às 22 horas de sábado e termina às 4 horas. Os 14 funcionários que participarão da mudança têm de ajustar relógios de diversos tipos e épocas. "Tem de corda e digital. Tem os que foram construídos em 1950, como o da Luz, e os que instalaram há poucos meses, nas estações mais novas", afirma o gerente de manutenção da CPTM , João Renato Pepe. O mesmo acontece no Metrô, que tem 565 relógios nas 55 estações. Há dois modelos. O de ponteiro está nas estações mais antigas, das linhas 1 e 3. E o digital, nas mais novas, 2 e 5. Os dois tipos estão sincronizados e são controlados por centrais. São 65 ao todo, que serão visitadas por oito técnicos. O serviço deve durar cinco horas, após o fechamento das estações.Nos nove terminais de ônibus da Empresa Municipal de Transportes Urbanos (EMTU), há 122 relógios. Desses, 26 são digitais e são acertados automaticamente. O restante será ajustado por três técnicos durante a madrugada.Mais novos, o 332 relógios de rua de São Paulo não exigirão todo esse esforço. Os equipamentos, instalados em 1998, são os primeiros no mundo sincronizados via satélite, por GPS. Quando chegar meia-noite, atrasarão automaticamente uma hora. Mas 15 técnicos farão uma vistoria, de moto, logo após a mudança. "É uma medida preventiva", afirma o engenheiro Francisco de Assis de Góis, do Consórcio Publicrono, dona da concessão. Bem diferente da década passada, quando não havia essa tecnologia. "Era uma operação de guerra. Havia uma equipe monstruosa e mudavam cada um ?na mão?. Acontecia de dois dias depois ainda estar com a hora antiga", lembra. MAIS TRABALHODeusdete Neres de Souza, ou simplesmente Souzinha para os clientes do bar Veloso, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, já sabe que terá trabalho redobrado neste fim de semana. Se normalmente o barman já faz cerca de 250 caipirinhas e tira algo em torno de 800 copos de chope toda noite, o fim do horário de verão vai obrigá-lo a estocar mais limões e açúcar - já que a mudança fará com que este sábado tenha "25 horas". "Ah, deve bater mais de mil chopes e umas 300 e poucas caipirinhas neste sábado, né", diz. "A gente tem que trabalhar uma hora a mais sem reclamar, não tem jeito. Mas é uma hora a mais para ganhar dinheiro."Nas estações do metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), nos aeroportos, casas noturnas, hotéis, cafés, restaurantes e cinemas da cidade, o expediente também terá uma hora a mais. As linhas 1, 2 e 3 do metrô, as seis linhas da CPTM e os ônibus terão o horário estendido em uma hora. Para quem for ao cinema, atenção com o relógio. Nas salas da rede Cinemark, por exemplo, o que vale é o "horário velho" - ou seja, se houver uma sessão marcada para a 0h30, ela será realizada às 23h30 d o horário atualizado.Para quem for viajar de avião então, ainda mais atenção. A Assessoria de Imprensa da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) sugere que os clientes liguem para as companhias para ter mais informações sobre qualquer mudança no horário dos vôos marcados para a virada de hoje para amanhã. O horário de versão 2007/2008 reduziu em 4,2% (1.557 megawatts) o consumo de energia nas regiões Sudeste e Centro-Oeste.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.