''A polícia só vai lá para atirar''

"A polícia só vai até lá para atirar", afirmou o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Ronaldo Marzagão. Segundo o governo do Estado, existe um acerto que permite aos agentes pagar apenas pela munição utilizada no CTT. A empresa, por sua vez, afirma que dá treinamento a mais de 4 mil pessoas por ano, recebendo instrutores até mesmo da SWAT americana.O treinamento era uma espécie de "cortesia" muito informal, embora juristas recomendem que qualquer tipo de convênio, mesmo gratuito, seja precedido de um acordo entre as partes com consequente publicação no Diário Oficial. Os contratos do Grupo GP com o governo do Estado alcançaram R$ 28 milhões em empenhos em 2008. Desse total, cerca de R$ 20 milhões foram efetivamente pagos até dezembro, segundo informações do Sistema de Informações Gerenciais da Execução Orçamentária (Sigeo), da Secretaria da Fazenda. Marzagão ressaltou que não havia nenhuma responsabilidade do Estado com a guarda do local. "É como quando se dá o porte de arma a alguém. Ela fica responsável por cuidar daquela arma."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.