A tradição pede passagem

Algumas das escolas de samba mais antigas do Rio se concentraram no segundo dia de desfiles, caso de Salgueiro, Portela e Mangueira, o que costuma significar arquibancada lotada e empolgada

, O Estadao de S.Paulo

24 Fevereiro 2009 | 00h00

Viviane Araújo vira ritmista A Salgueiro foi a primeira a ser saudada como campeã pela arquibancada popular da Sapucaí neste carnaval. A escola trouxe Viviane Araújo à frente da bateria de Mestre Marcão - substituto de Mestre Louro, morto ano passado e homenageado no último carro. Apaixonados pela Portela Com o enredo E por falar em amor, onde anda você?, a tradicional Portela arrasta multidões apaixonadas para a arquibancada. Todos esperavam para ver a rainha da bateria, Luma de Oliveira - de volta à Sapucaí depois de três anos sem desfilar. Renato Sorriso, o querido da folia Um dos personagens mais famosos - e queridos - do carnaval do Rio, o gari Renato Sorriso retribui a empolgação do público durante sua passagem pela avenida com acenos e (muitos) sorrisos. Adão e Eva na Porto da Pedra A Porto da Pedra, primeira a entrar na Sapucaí na noite de segunda-feira, trouxe enredo sobre a curiosidade do homem. No abre-alas, carro com quatro tripés, vinham Adão e Eva - a curiosidade deles expulsou o homem do paraíso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.