''A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa''

Em dois momentos do discurso Dilma mencionou frases de "um poeta de minha terra'', sem nomeá-lo. A primeira: "O que tem de ser, tem muita força." A segunda: "O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem." As frases constam do livro Grande Sertão: Veredas, de Guimarães Rosa, mineiro de Cordisburgo.

Mônica Manir, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2011 | 00h00

"Chamar Guimarães Rosa de poeta não é errado, mas esquisito", diz Walnice Nogueira Galvão, professora da USP. "Ele é mais conhecido como romancista e contista, embora sua prosa seja poética." Walnice lembra que a primeira frase é um dito popular e também foi usada por Graciliano Ramos e José Saramago. Dilma gosta de temperar discursos com literatura. No Congresso do PT em fevereiro, uma vez mais recorrendo à força para seguir em frente, recitou o Poeminho do Contra, de Quintana: "Todos esses que aí estão / Atravancando o meu caminho, / Eles passarão / Eu passarinho!" /

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.