A violência espalha-se pelos morros do Rio

A violência se espalhou por outros morros da cidade. No incidente mais grave, um helicóptero da Polícia Militar teve de fazer um pouso forçado, à tarde, depois de ser atacado a tiros por traficantes do Morro de São Carlos, no Centro. Um capitão, um sargento e um soldado que estavam a bordo foram baleados, mas não correm risco de vida. Os criminosos ainda invadiram o Morro da Mineira, que fica ao lado, e mataram um rapaz que também seria traficante. Em duas favelas da zona norte, outros cinco traficantes morreram em tiroteios com a PM.O ataque ao helicóptero ocorreu por volta das 13 horas. A missão dos militares, que fazem parte do Grupamento Aero-Marítimo (GAM) da PM, era socorrer colegas do 1º Batalhão da PM que trocavam tiros com os traficantes e ficaram encurralados, segundo informações do Serviço de Relações Públicas da corporação. Moradores contaram que ouviram rajadas e logo depois viram a aeronave pousar, avariada, no quartel do Batalhão Choque da PM, que fica a alguns metros do morro. Segundo os policiais, os traficantes usaram fuzis para abater o aparelho. Um dos projéteis atravessou o colete à prova de balas do capitão Daniel Miranda de Queiroz, que ficou ferido no peito. Ele foi operado no Hospital Central da PM e está fora de perigo. O sargento Jorge Antônio Silveira de Andrade e o soldado Cristiano Soares da Costa foram atingidos por estilhaços, semgravidade. Os policiais do 1º Batalhão faziam um cerco ao tráfico nos morros de São Carlos, Mineira e Zinco. Um grupo deles acabouencurralado pelos criminosos, e o helicóptero foi chamado para ajudá-los. A PM não informou em que parte da fuselagem aaeronave foi atingida. Logo depois do ataque, dezenas de PMs do Batalhão de Choque ocuparem as vielas do São Carlos, masaté as 19 horas não havia ocorrido novo contronto.Ninguém foi preso. Os traficantes do São Carlos e da Mineira estão em guerra pelo controle do comércio de drogas no Zinco, que fica próximo aos dois.Enquanto os criminosos do São Carlos atiravam contra o helicóptero, um outro grupo invadiu a Mineira e matou um rapaz, não identificado até agora à noite. Ele pertencia à quadrilha rival.Em Vigário Geral, dois homens apontados como traficantes morreram em confronto com policiais militares, demanhã e no início da tarde. Na favela do Quitungo, em Brás de Pina, três criminosos foram mortos também num tiroteio com aPM. Eles estavam com três pistolas, uma granada de fabricação caseira e 66 sacolés de cocaína. Policiais permaneceramdurante o dia na favela para garantir o funcionamento do comércio, mas algumas lojas não abriram, por imposição do tráfico.

Agencia Estado,

12 de abril de 2004 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.