Christian Rizzi|ESTADAO
Christian Rizzi|ESTADAO

Abdelmassih é internado em hospital após agravar doença cardíaca

Condenado a mais de 200 anos de prisão, ele está no Hospital Regional de Taubaté; advogados tentam obter indulto humanitário

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

08 Abril 2017 | 15h25

SOROCABA – O médico Roger Abdelmassih, condenado a mais de duzentos anos de prisão, acusado de estuprar pacientes, foi internado na noite desta sexta-feira, 7, após o agravamento de problemas cardíacos. Ele deu entrada no setor de urgências do Hospital Regional de Taubaté com dores no peito, recebeu medicação e foi estabilizado.

Na manhã deste sábado, 8, ele continuava internado, mas o hospital não deu informações sobre o estado de saúde. A transferência do presídio para o hospital foi autorizada pela Vara de Execuções Penais e, apesar do estado de saúde, o detento é mantido sob escolta.

Abdelmassih cumpre pena na Penitenciária 2, em Tremembé, e vem apresentando recorrentes problemas cardíacos. Seus advogados tentam obter na Justiça o indulto humanitário para que possa receber tratamento domiciliar. O beneficio é concedido a detentos com doenças graves, para as quais os presídios não apresentam estrutura de atendimento.

A defesa do condenado tenta comprovar, através de perícias e laudos médicos, que ele corre o risco de ter a vida abreviada se não for tratado de forma adequada. Também buscam fazer prova de que o quadro é irreversível, condição que autoriza a concessão do indulto.

Considerado um dos maiores especialistas em reprodução humana do Brasil, Roger Abdelmassih foi condenado em 2010 por 52 estupros a 39 vítimas entre 1995 e 2008. As penas somaram 278 anos, mas os advogados pediram revisão e há recursos pendentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.