Aberto inquérito para investigar acusados de matar menino

A polícia abriu inquérito para investigar a suspeita de que os cinco acusados de matar o menino João Hélio Fernandes, de 6 anos, participariam de uma quadrilha de cerca de 20 pessoas especializada em roubos de carros. O garoto foi morto há uma semana, quando, após o roubo do carro de sua mãe, ficou preso ao cinto de segurança, sendo arrastado pelos criminosos por sete quilômetros. "Possivelmente, o Carlos Eduardo é o cabeça dessa quadrilha, o responsável pelo lado operacional", afirmou o delegado Hércules Nascimento, da 30ª Delegacia de Polícia, em Marechal Hermes, na zona norte. Na tarde desta quinta-feira, os policias fizeram uma simulação do crime, Carlos Eduardo Toledo, 23 anos, Tiago e Carlos Roberto foram apontados como autores do roubo de um Citroën, ocorrido em janeiro na Tijuca, zona norte do Rio. Eles foram reconhecidos pelo dono do carro. A acusação será anexada ao inquérito do caso João Hélio. Na quarta-feira, durante audiência com o juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude, Guaraci Vianna, o adolescente E. , de 16 anos, confessou ter participado de outro roubo de veículo em companhia do irmão Carlos Eduardo Toledo, 23 anos, e Diego Nascimento Silva, de 18 anos. O assalto teria ocorrido em Madureira, na zona norte do Rio.

Agencia Estado,

15 Fevereiro 2007 | 19h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.