Abib Miguel tem habeas corpus negado pelo TJ

O ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná, Abib Miguel - preso desde o dia 24 de abril quando foi deflagrada a Operação Ectoplasma 1, coordenada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) - permanecerá na prisão. A decisão, de caráter temporário, é do desembargador José Maurício Pinto de Almeida, da 2.ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, que negou um pedido de habeas corpus impetrado pela defesa do ex-diretor para soltá-lo. O mérito da questão deve ser julgado pela 2.ª Câmara do TJ nos próximos dias. Enquanto não houver uma decisão favorável, Bibinho, como é conhecido o ex-diretor, ficará no quartel do Comando Geral da Polícia Militar, no centro da capital paranaense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.