Abordagem policial acaba em dois mortos e uma ferida

Um soldado e um rapaz morreram e uma adolescente grávida ficou ferida durante uma operação policial na noite de ontem em uma casa em Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba. O soldado foi morto por uma bala de sua própria arma, que foi tomada pela adolescente.De acordo com a Polícia Militar, Ronaldo e o soldado Mário foram atender ao chamado de um homem informando que três pessoas estavam dentro de sua propriedade consumindo drogas.Pelo relato policial, no momento em que os soldados providenciavam a revista e desocupavam a casa, a jovem P., de 17 anos, tirou a arma de Ronaldo, que estava no coldre. Depois, ela apontou para sua própria cabeça, ameaçando suicídio caso o marido dela, Gilson, não fosse solto.Segundo a PM, para preservar a vida da mulher, Gilson foi solto e os policiais tentavam convencê-la a largar a arma. No entanto, inesperadamente ela desviou o revólver que estava apontado para seu ouvido e deu dois tiros contra a cabeça de Ronaldo, que morreu na hora.O soldado Mário, que até aquele momento mantinha suas duas armas no coldre para evitar pressão contra a moça, correu para auxiliar o companheiro. De acordo com a polícia, Gilson aproveitou-se desse momento e tirou uma arma. O soldado Mário pegou a outra e houve troca de tiros.O soldado não teve ferimentos, mas Gilson foi baleado e também acabou morrendo. Grávida de três meses, a adolescente teve ferimento no braço e no abdômen, mas não houve nenhum problema com a criança. Ela foi submetida a cirurgia no Hospital Evangélico e seu estado era considerado estável. O outro rapaz que estava na casa, conhecido como Febem, foi preso posteriormente.Com 31 anos de idade, Ronaldo dos Santos tinha sido transferido do batalhão de Palmeira para Curitiba. O corpo foi levado para a cidade de origem e sepultado hoje à tarde. O rapaz, conhecido como Gilson, ainda não foi identificado oficialmente pelo Instituto Médico Legal.

Agencia Estado,

02 de setembro de 2004 | 16h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.