Abraji apoia limite de 50 anos para divulgação de papéis

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) considera "lamentável" a manutenção do sigilo por tempo indeterminado de papéis oficiais. "A Abraji espera que o bom senso volte a vigorar entre a maioria dos senadores e no Palácio do Planalto e que o projeto seja aprovado tal qual veio da Câmara: com um tempo máximo de sigilo de 50 anos", diz nota divulgada ontem pela entidade. "O texto já aprovado pelos deputados é no momento o melhor para a liberdade de expressão, informação e para a democracia em geral." Para a Abraji, "o Brasil não pode ser condenado à opacidade pelo crime de lesa-história que alguns poucos senadores pretendem cometer." A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também defendeu o fim do sigilo eterno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.