Abuso sexual entra no currículo

O debate sobre abuso sexual infantil já faz parte do currículo de algumas escolas públicas e particulares de ensino fundamental. Na escola privada Nossa Senhora das Graças, em São Paulo, crianças aprendem sobre cuidados com o corpo desde o 1.º ano. No 4.º e no 5.º, têm aulas de sexualidade como parte da disciplina de Ciências. Pais e alunos discutem temas relacionados à violência. "A parceria entre escola e família é fundamental para o diálogo com as crianças", diz a orientadora pedagógica Ana Paula Torres. A Secretaria Municipal de Assistência Social editou um manual de prevenção e identificação de abuso infantil a ser distribuído nas escolas públicas - cartilha similar foi editada pela Secretaria Estadual de Educação. Lei proposta pelo vereador Carlos Alberto Bezerra Junior (PSDB), sancionada em 2007, tornou a prevenção e identificação de abuso parte da formação de professores.

Adriana Carranca, O Estadao de S.Paulo

12 de março de 2009 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.