Acaba maratona de testemunhos contra Andinho em Campinas

O seqüestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, encerrou nesta sexta-feira sua participação em uma maratona de audiências de testemunhas de acusação no Fórum de Campinas, emseis casos de seqüestro e um de denúncia caluniosa contra policiais da cidade.Em três dos seis casos de seqüestro, Andinho foi reconhecido pelas vítimas. Uma delas dividiu o cativeiro com a cigana Rosana Melotti, assassinada pelos seqüestradores com um tiro de fuzil em frente à sua casa, no bairro Taquaral, em janeiro do ano passado.O promotor público Carlos Eduardo Ayres de Farias comentou que a polícia tem uma gravação telefônica, supostamente de uma conversa entre Andinho e um parente de outra vítima, em que o seqüestrador confirma ter mandado matar Rosana e cita diferentes motivos: que a família não estava sendo encontrada para negociar o resgate, que tinha dinheiro, mas se recusava a pagar o valor pedido, e que os parentes haviam acionado policiais da Delegacia Anti-Seqüestros, contrariando as determinações dosseqüestradores.A polícia não informou quando Andinho seria levado de volta ao presídio de segurança máxima de Presidente Bernardes, onde ele está preso, após a audiência desta sexta. Esta semana, ele permaneceu detido no Complexo Penitenciário deHortolândia. Farias disse desconhecer quando será a próxima audiência do seqüestrador em Campinas. Ele é acusado em 12 casos de seqüestro na Justiça e em 19 na Polícia Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.