Acaba seqüestro de médica de Taubaté

A médica Eulália Pedrosa Almeida, de 44 anos, foi localizada e libertada por volta das 9 horas da manhã de hoje, pela polícia civil. O seqüestro de Eulália, filha do diretor da Casa de Custódia de Taubaté, José Ismael Pedrosa, aconteceu às 14h30 de terça-feira, e era atribuído à facção criminosa Primeiro Comando da Capital. A informação foi dada pelo delegado-geral da Polícia Civil, Marco Antonio Desgualdo, que não quis dar detalhes sobre o cativeiro. O anúncio oficial do fim do seqüestro deverá ser feito pelo governador Geraldo Alckmin, que participa da desativação da carceiragem do 40º Distrito Policial, na vila Santa Maria, zona norte de São Paulo. Atendendo ao pedido da família, o estadao.com.br havia decidido não noticiar o seqüestro para não atrapalhar as investigações da polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.