Ação da PM contra o tráfico gera protesto violento na zona norte do Rio

Ônibus foi incendiado e viaduto bloqueado por manifestantes após traficante e criança serem baleados

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

19 Abril 2012 | 01h44

SÃO PAULO - No final da tarde desta quarta-feira, 18, dezenas de supostos moradores da Favela do Rato Molhado, na região do Engenho Novo, na zona norte do Rio, incendiaram um ônibus da linha 311 (Praça XV - Engenheiro Leal), da Viação Estrela Azul, e bloquearam por cerca de 1 hora e meia o Viaduto Procurador José Alves de Morais, que dá acesso ao Túnel Noel Rosa, após uma ação de PMs do 3º Batalhão, do Meier, contra o tráfico de drogas na comunidade.

 

Durante a ação, um jovem, identificado como William de Souza, de 18 anos, armado com uma pistola calibre 9 milímetros - de uso exclusivo das Forças Armadas - entrou em confronto com os policiais, foi baleado três vezes, uma delas no peito e, na sequencia, hospitalizado. William já tem duas passagens por tráfico de drogas. Uma bala perdida atingiu de raspão a barriga de uma menina de 10 anos, que foi levada para o Hospital Salgado Filho, atendida e liberada.

 

Revoltados com a ação da polícia, vândalos, armados de paus e pedras, pararam o tráfego sobre o viaduto, bloquearam a passagem do coletivo, que foi depredado e incendiado. O motorista, segundo a polícia, sofreu cortes no rosto e na cabeça, mas andou até a garagem e depois foi para a 25ª Delegacia, do Engenho Novo, onde prestou depoimento. Outros cinco coletivos também chegaram a ser parados pelo grupo, mas não foram incendiados.

 

Para evitar novos protestos, a Polícia Militar durante a noite tomou os acessos à comunidade do Rato Molhado. Por causa do violento protesto, o trânsito na região ficou muito complicado.

Mais conteúdo sobre:
Rio violência favela PM protesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.