REUTERS/Christian Hartmann
REUTERS/Christian Hartmann

'Ação irresponsável de empresas' causou tragédia, diz Dilma

Na COP-21, presidente classificou rompimento de barragens em Mariana como 'o maior desastre ambiental da história do Brasil'

Andrei Netto e Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

30 Novembro 2015 | 11h35

PARIS - A presidente Dilma Rousseff (PT) abriu seu discurso na 21ª Conferência do Clima (COP-21) das Nações Unidas, nesta segunda-feira, 30, em Paris, classificando o rompimento da barragem de Mariana, em Minas Gerais, como "o maior desastre ambiental da história do Brasil", e prometeu punições severas para os responsáveis.

"A ação irresponsável de empresas provocou o maior desastre ambiental na história do Brasil na grande bacia hidrográfica do Rio Doce", disse a presidente. "Estamos reagindo ao desastre com medidas de redução de danos, apoio às populações atingidas, prevenção de novas ocorrências e também punindo severamente os responsáveis por essa tragédia."

Para a presidente, o Brasil tem sofrido com os efeitos do fenômeno El Niño. "O problema da mudança do clima não é alheio aos brasileiros", argumentou. "Temos enfrentado secas no Nordeste, chuvas e inundações no Sul e no Sudeste do País. O fenômeno El Niño tem nos golpeado com força."

O assunto foi o segundo tratado em seu discurso, logo depois que a presidente expressou sua solidariedade às vítimas do terrorismo em Paris.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.