Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Ação pela amamentação reúne duas mil mulheres no Aterro do Flamengo, no Rio

Encontro marca o encerramento da 1ª Semana do Bebê Carioca

estadão.com.br,

26 Agosto 2011 | 09h24

SÃO PAULO - Cerca de duas mil mães estarão reunidas para amamentar seus bebês neste domingo, 28, no Aterro do Flamengo, no Rio, batendo o recorde das Américas. O encontro marca o encerramento da 1ª Semana do Bebê Carioca, e tem o objetivo de promover a importância da amamentação pelo menos até os dois anos de idade, seguindo recomendações da organização Mundial da Saúde (OMS).

 

A mobilização popular, promovida pela Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC), contará com Feira de Saúde, das 9h às 14h, no Parque da Cidade das Crianças, na Praia do Flamengo, em frente à Rua Corrêa Dutra. No local, haverá estandes de saúde da mulher, do homem e do idoso, nutrição, paternidade, tabagismo, saúde bucal, asma, fonoaudiologia e práticas integrativas e complementares. Para as crianças, haverão brincadeiras e atividades lúdicas. Também acontecerão shows e apresentação de atividades culturais, como teatro e corais.

 

Para marcar o Dia Nacional de Combate ao Fumo, celebrado em 29 de agosto, a Assessoria de Controle do Tabagismo disponibilizará um estande na Feira de Saúde com informações sobre o tabagismo durante a gestação. O objetivo é esclarecer a importância de evitar o fumo na gravidez e no período de amamentação, devido aos riscos para o bebê. A população poderá passar por avaliação de lesão de boca pela equipe de Saúde Bucal, medição de monóxido de carbono, avaliação da dependência química e obter orientações sobre como deixar de fumar.

 

A Organização Mundial de Saúde e o Ministério da Saúde recomendam o aleitamento materno exclusivo nos seis primeiros meses de vida e orientam as mães para que amamentem a criança por até dois anos ou mais, complementando a alimentação com outros alimentos saudáveis. A amamentação é uma experiência completa, pois proporciona a comunicação total entre mãe e filho, reduz o número de mortes infantis e oferece maior qualidade de vida para o bebê.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.