Acerto de contas do tráfico do Rio mata garota de 2 anos

Uma menina de apenas dois anos foi morta, na noite desta quarta-feira, com um tiro na cabeça, numa viela da Favela de Vila Vintém, zona oeste do Rio de Janeiro. A polícia apurou que ela foi atingida durante um acerto de contas entre traficantes daquela favela. Um deles, o padrasto criança, também foi baleado no peito. O autor dos disparos é um ex-sócio dele num ponto de venda de drogas naquela mesma favela. Segundo o delegado de plantão da delegacia de Bangu, o traficante Maurício da Silva, de 45 anos, estava levando, no quadro de sua bicicleta, a pequena enteada Maria Fernanda Guerra de Santana e, na garupa, a mãe da menina, cujo nome é mantido em sigilo, por ser a principal testemunha desse crime. Maurício é dono de uma "estica", como é chamado no Rio um ponto de venda drogas pequeno, à margem de uma via. Geralmente os traficantes de maior porte, que ficam nas chamas "bocas", arrendam as "esticas" para outros e são seus fornecedores.Ao se desentender com seu antigo fornecedor, Maurício, que tem várias passagens na polícia tanto por tráfico quanto por outros crimes, foi jurado de morte. Na noite de quarta-feira, quando pedalava pela viela, levando a companheira e a filha dela, foi avistado pelo ex-sócio, que passava pelo local, em um automóvel. O criminoso parou o veículo alguns metros adiante e descendo ficou esperando a bicicleta se aproximar. Depois, sacando de uma arma, gritou para Maurício que chegou o dia de acertarem as contas. Em seguida efetuou vários disparos, acertando Maurício no peito e Maria Fernanda na cabeça. A mãe dela saiu ilesa.O agressor fugiu e as vitima foram socorridas no Hospital Albert Schweitzer, onde a menina morreu e seu padrasto ficou internado em observação, após cirurgia para extrair os projetos que o atingiram. Já em posse de informações sobre a identificação do homicida, a polícia espera prende-lo nas próximas horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.