Achados mais 4 fuzis roubados

Armas do Exército estavam dentro de um tonel

Damaris Giuliana, O Estadao de S.Paulo

09 de maio de 2009 | 00h00

Mais quatro fuzis, dois carregadores e 40 munições do Exército foram recuperados por volta das 11h30 de ontem, num sítio em Jambeiro, a cerca de 20 km do 6º Batalhão de Infantaria Leve, em Caçapava, de onde foram roubados na noite de 8 de março. O armamento estava enterrado no curral, protegido por um tubo improvisado, feito com três galões de água cortados e encapados com papel alumínio. A incursão foi comandada pela Polícia Civil.Na quinta-feira, uma operação conjunta de Polícia Civil, Polícia Federal e do Exército, em Caraguatatuba, deteve o vendedor Erasmo Bal Col Junior, de 27 anos, o Matiz. Ele foi pego numa blitze e reconhecido por meio de fotografias.Uma fonte militar afirma que a PF tinha mandado contra Matiz. Em interrogatório, o rapaz delatou um homem conhecido como Mexerica, que também foi preso. Foi ele quem forneceu as informações que levaram os policiais até Jambeiro. De acordo com o Exército, todas as ações fazem parte da Operação Ypiranga, iniciada na semana do roubo. Mais de 700 militares passaram um mês nas ruas de cidades do Vale do Paraíba. A maior concentração de soldados ocorreu no bairro Campo dos Alemães, em São José dos Campos.Os militares saíram das ruas, mas a operação continuou com o trabalho conjunto dos setores de inteligência. "Esse cruzamento de informações foi o que garantiu o sucesso", afirma o tenente-coronel José Mateus Ribeiro, chefe da Comunicação Social do batalhão do exército em Caçapava. O primeiro dos sete fuzis foi recuperado em 10 de abril. Ele estava escondido na churrasqueira de uma casa em São José dos Campos. Os fuzis automáticos leves, calibre 7,62 mm, são armas de uso exclusivo das Forças Armadas. A notícia foi bastante comemorada pelo Exército, mas o Comando Militar do Sudeste só deve se pronunciar depois que todo o armamento for encontrado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.